Artigos

Hipererotismo: tudo o que você precisa saber

Hipererotismo: tudo o que você precisa saber


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Hipererotismo É um termo desconhecido para muitos o que, além disso, é controverso e é debatido no diagnóstico, uma vez que o espectro do hipererotismo ainda não está bem definido.

Conteúdo

  • 1 O que é hipererotismo?
  • 2 Características das pessoas que sofrem de hipererotismo
  • 3 Tratamento do hipererotismo

O que é hipererotismo?

Hipererotismo (ou hiperestesia sexual), de acordo com Richard Von Kraff Ebing (1840-1902), é caracterizada por "um vigor anormal das sensações e representações sexuais", que é comumente conhecido como estado de hipersexualidade.

Como dissemos, os limites do hipererotismo ainda não estão definidos. No entanto, é importante esclarecer que esse conceito de hipererotismo é o substituto do que costumávamos chamar de ninfomania e satiríase.

Ninfomania É um distúrbio sexual que ocorre apenas em mulheres e é caracterizado pelo desenvolvimento de problemas psicológicos que resultam em uma obsessão pelo sexo e uma libido excessivamente ativa.

Por outro lado, satiríase Refere-se ao mesmo distúrbio, apenas que seu diagnóstico é para homens. Hoje, o debate se concentra na capacidade de determinar a partir de qual ponto o hipererotismo pode ser diagnosticado com segurança.

No entanto, diagnosticar hipererotismo é uma tarefa complicada, uma vez que o desejo sexual pode variar tanto de uma pessoa para outra que é praticamente impossível estabelecer um ponto a partir do qual o desejo sexual é excessivo para qualquer pessoa.

Uma das curiosidades desse distúrbio é que as causas de sua aparência são desconhecidas, embora isso possa ser causado, em alguns casos, pelo consumo de certos medicamentos ou por diferentes problemas médicos.

Assim, o consumo de álcool e drogas são fatores que podem influenciar na aparência desse distúrbio. Da mesma forma, pessoas com distúrbios psicológicos, como o transtorno bipolar, podem experimentar o aparecimento de hipererotismo.

Além disso, o hipererotismo aparece com mais frequência em indivíduos na idade adulta que experimentam uma rejeição da perda de atividade sexual e em pessoas que, de alguma forma, foram reprimidas sexualmente durante a adolescência.

Normalmente hipersexualidade é entendida como um vício, mas estudos recentes em sexologia mostram esse distúrbio como mero comportamento compulsivo, embora ainda não haja consenso.

Finalmente, é importante ter em mente que, juntamente com o hipererotismo, eles frequentemente aparecem sentimentos de culpa e desconforto, portanto, não devemos esquecer que esse é um distúrbio psicológico que requer tratamento.

Características das pessoas que sofrem de hipererotismo

Embora, como dissemos, não haja acordo sobre o diagnóstico de hipererotismo, considera-se que uma pessoa sofre deste distúrbio quando interfere com seu funcionamento social normal.

Por esse motivo, pessoas com hipererotismo podem experimentar problemas familiares e profissionais, pois seu desejo sexual excessivo os leva a práticas como frequentar bordéis ou buscar contato sexual constante com o uso da Internet.

Portanto, o hipererotismo se torna um comportamento sexual que está além do controle do indivíduo e pode levar a sérias conseqüências, como problemas médicos e legais.

Da mesma forma, o fato de pessoas com hipererotismo experimentarem sentimentos de culpa faz com que esses indivíduos tentem, sem sucesso, evitar esse comportamento. A conseqüência disso é que a hipersexualidade também está ligada a sentimentos de frustração.

Além disso, devido à atividade sexual excessiva, as pessoas que sofrem de hipererotismo sofrem mudanças drásticas de humor, passando da euforia à depressão após cada relação sexual.

Tratamento de hipererotismo

O tratamento desse distúrbio requer cuidados psicológicos e farmacológicos, variando de acordo com a intensidade e a duração do distúrbio. Além disso, seu tratamento é realizado a longo prazo, pois, como qualquer dependência, requer a máxima prevenção e atenção possíveis.

O objetivo do seu tratamento é evitar recaídas e o reaparecimento de comportamentos compulsivos, bem como o desenvolvimento de comportamentos que permitam ao paciente um desenvolvimento normal na sociedade.

Além disso, como no tratamento de qualquer dependência ou distúrbio, um atitude receptiva por parte do paciente. Para isso, existem vários grupos de apoio a pessoas com hipererotismo.

Por outro lado, hoje se destaca o uso de psicoterapia, que tenta esclarecer as causas do aparecimento desse distúrbio e controlar o comportamento sexual do indivíduo com o desenvolvimento de técnicas cognitivo-comportamentais.

No entanto, como mencionamos anteriormente, algumas vezes a hiperestesia sexual é derivada de outros distúrbios psicológicos mais graves. Nesses casos, o tratamento ideal requer a admissão do paciente em um centro de atendimento onde ele recebe ajuda o tempo todo.

Em conclusão, hipererotismo é uma disfunção sexual, que pode afetar a vida cotidiana, social e profissional da pessoa que sofre, por isso é importante entender suas causas e seu tratamento.