Em formação

10 dicas para consertar um coração partido

10 dicas para consertar um coração partido


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Bess Myerson escreveu uma vez que “apaixonar-se é terrivelmente simples, mas abandonar o amor é simplesmente horrível”. Especialmente se você é quem deseja que o relacionamento dure.

Consertar um coração partido nunca é fácil. Não há maneira rápida de impedir que seu coração doa tanto.

Parar de amar não é uma opção. O autor Henri Nouwen escreve: “Quando aqueles que você ama profundamente o rejeitam, o deixam ou morrem, seu coração fica partido. Mas isso não deve impedir você de amar profundamente. A dor que vem do amor profundo torna o seu amor cada vez mais fecundo. ”

Mas como podemos superar a dor? Aqui estão 10 dicas que reuni de especialistas e de conversas com amigos sobre como eles remendaram seus corações e tentaram, gradualmente, seguir em frente.

1. Passe por isso, não em torno dele.

Sei que a tarefa mais difícil para uma pessoa com o coração partido é ficar parada e sentir a rachadura. Mas isso é exatamente o que ela deve fazer. Porque nenhum atalho está livre de obstruções. Aqui está um fato simples: você tem que sofrer para seguir em frente. Durante os 18 meses de minha depressão severa, meu terapeuta repetiu quase todas as visitas: “Passe por isso. Não por perto. ” Porque se eu contornasse alguns dos problemas que estavam me destruindo por dentro, então os encontraria em algum lugar ao longo da linha, como ser pego no centro de uma rotatória. Ao passar pela dor intensa, acabei aparecendo como uma pessoa mais forte, pronta para enfrentar os problemas de frente. Logo a dor perdeu sua fortaleza sobre mim.

2. Desapegue-se e deleite-se com sua independência novamente.

Tentar preencher o vazio sozinho - sem apressar-se para um novo relacionamento ou tentar desesperadamente reconquistar o seu amante - é essencialmente o que significa desapego. O Buda ensinou aquele apego que leva ao sofrimento. Portanto, o caminho mais direto para a felicidade e a paz é o desapego. Em seu livro, Sabedoria Oriental para Mentes Ocidentais, Victor M. Parachin conta uma história maravilhosa sobre um velho jardineiro que procurou o conselho de um monge. Escreve Parachin:

“Grande Monge, deixe-me perguntar-lhe: como posso alcançar a libertação?” O Grande Monge respondeu: "Quem amarrou você?" Este velho jardineiro respondeu: “Ninguém me amarrou”. O Grande Monge disse: "Então por que você busca a libertação?"

Um dos pensamentos mais libertadores que repito para mim mesmo quando estou imerso na dor e na tristeza é este: não preciso de ninguém nem de nada para me fazer feliz. Quando estou experimentando intensas dores de luto, é tão difícil confiar que posso ser completo sem essa pessoa em minha vida. Mas aprendi várias vezes que posso. Eu realmente posso. É meu trabalho preencher o vazio e posso fazê-lo ... criativamente e com a ajuda do meu poder superior.

3. Liste seus pontos fortes.

Como escrevi em meu post “12 Ways to Keep Going”, uma técnica que me ajuda quando me sinto cru e derrotado para tentar mais é listar meus pontos fortes. Eu digo a mim mesmo: “Eu, você está sóbrio há 20 anos !! Os fracos não conseguem tirar isso! E aqui está você, vivo, após aqueles 18 meses de intensos pensamentos suicidas. Além disso, você não fuma um cigarro desde aquele funeral em dezembro do ano passado! ” Digo tudo isso enquanto ouço a trilha sonora de "Rocky" e, na última linha, estou pronto para enfrentar meu próximo desafio: superar essa tristeza e tentar ser um indivíduo produtivo neste mundo. Se você não consegue listar seus pontos fortes, comece um arquivo de auto-estima. Clique aqui para saber como você constrói um.

4. Permita algumas fantasias.

O luto não seria o processo natural que deveria acontecer sem algum desejo pela pessoa que você acabou de perder. Dra. Christine Whelan, que escreve “Pure Sex, Pure Column” no BustedHalo.com, explica a lógica de permitir um pouco de fantasia. Ela escreve:

Se você está tentando banir uma fantasia sexual de sua cabeça, dizer a si mesmo "Não vou fantasiar sobre ela" ou "Não vou pensar sobre como seria ter intimidade com ele" pode piorar ... Em um famoso estudo psicológico da década de 1980, um grupo de sujeitos foi instruído a pensar em qualquer coisa, mas o que quer que eles fizessem, eles não deveriam pensar em um urso branco. Adivinha o que todos eles pensaram? [Um urso branco.]

5. Ajude outra pessoa.

Quando estou com dor, o único antídoto garantido para o meu sofrimento é encaixar todos os meus sentimentos, classificá-los e, em seguida, tentar encontrar um uso para eles. É por isso que escrever Beyond Blue contribui muito para a minha recuperação, porque moderar o Group Beyond Blue me deixa animado para acordar todos os dias. Quando você volta sua atenção para outra pessoa - especialmente alguém que está lutando contra o mesmo tipo de dor - você se esquece de si mesmo por um momento. E vamos encarar, que, em alguns dias, parece um milagre.

6. Ria. E chora.

O riso cura em muitos níveis, conforme explico em meu artigo “9 maneiras de curar o humor”, assim como o choro. Você acha que é apenas uma coincidência você sempre se sentir melhor depois de um bom choro? Não, existem muitas razões fisiológicas que contribuem para o poder de cura das lágrimas. Alguns deles foram documentados pelo bioquímico William Frey, que passou 15 anos como chefe de uma equipe de pesquisa que estuda as lágrimas. Entre suas descobertas está que as lágrimas emocionais (em comparação com as lágrimas de irritação, como quando você corta uma cebola) contêm subprodutos bioquímicos tóxicos, de modo que o choro remove essas substâncias tóxicas e alivia o estresse emocional. Então vá pegar uma caixa de lenços de papel e chore a tarde toda.

7. Faça uma lista boa e má.

Você precisa saber quais atividades farão você se sentir bem e quais farão você querer passar papel higiênico na casa (ou apartamento) do seu ex-namorado. Você não saberá realmente qual atividade pertence a qual lista até que comece a tentar coisas, mas suspeito que coisas como verificar o mural dele no Facebook e ver que ele acabou de postar uma foto de sua linda nova namorada não vão te fazer se sentir bem, então coloque isso na lista de “não tente”, junto com e-mails e telefonemas para seus amigos que procuram informações sobre ele. Na lista "parece ótimo" podem ser encontrados empreendimentos como: deletar todos os seus e-mails e mensagens de voz, penhorar as joias que ele lhe deu (usar o dinheiro para uma massagem tão necessária?), Rir sobre o café com um novo amigo que não o conhece de Adam (para garantir que seu nome não apareça).

8. Resolva isso.

Resolver o luto literalmente - correndo, nadando, fazendo exercícios, caminhando ou fazendo kickboxing - vai lhe dar um alívio imediato. Em um nível fisiológico - porque o exercício aumenta a atividade da serotonina e / ou norepinehrina e estimula os produtos químicos cerebrais que promovem o crescimento das células nervosas - mas também em um nível emocional, porque você está assumindo o comando e se tornando o mestre de sua mente e corpo. Além disso, você pode visualizar o sujeito que é responsável por sua dor e pode chutá-lo no rosto. Agora não é bom?

9. Crie um novo mundo.

Isso é especialmente importante se o seu mundo colidiu com o dele, o que significa que amigos em comum que o viram na última semana sentirão necessidade de contar a você sobre isso. Crie seu próprio mundo seguro - cheio de novos amigos que não o reconheceriam em uma multidão e não sabem como soletrar seu nome - onde ele não tenha permissão para aparecer para uma visita surpresa figurativa ou literal. Aproveite esta oportunidade para experimentar algo novo - aulas de mergulho, uma aula de arte, um clube do livro, um blog - para programar sua mente e corpo para esperar um novo começo ... sem ele (ou ela).

10. Encontre esperança.

Há uma citação poderosa no filme O conto de Despereaux que tenho pensado desde que ouvi: "Há uma emoção que é mais forte do que o medo, e essa é o perdão." Suponho que seja por isso que, no leito de morte de meu pai, o momento de reconciliação entre nós me deixou menos com medo de perdê-lo. Mas o perdão requer esperança: acreditar que existe um lugar melhor, que o vazio dolorido vivido em todas as suas atividades não estará com você para sempre, que um dia você estará animado para fazer um café pela manhã ou ir ao cinema com os amigos . Hope é acreditar que a tristeza pode evaporar, que se você tentar como o diabo seguir em frente com sua vida, seu sorriso nem sempre será forçado. Portanto, para perdoar e superar o medo, você precisa encontrar esperança.

E lembre-se de amar novamente ...

Uma vez que nossos corações estão machucados e queimados por um relacionamento que terminou, temos duas opções: podemos fechar pedaços de nosso coração para que um dia ninguém possa entrar. Ou podemos amar novamente. Profundamente, tão intensamente quanto antes. Henri Nouwen anseia por amar novamente porque o coração só se expande com o amor que somos capazes de derramar. Ele escreve:

Quanto mais você amou e se permitiu sofrer por causa do seu amor, mais você será capaz de deixar seu coração crescer mais amplo e profundo. Quando o seu amor é verdadeiramente dar e receber, aqueles a quem você ama não deixarão seu coração, mesmo quando se afastarem de você. A dor da rejeição, ausência e morte pode se tornar fecunda. Sim, à medida que você ama profundamente, a base do seu coração será cada vez mais quebrada, mas você se alegrará com a abundância dos frutos que ela produzirá.


10 dicas para consertar um coração partido

Eu encontrei este artigo enquanto pesquisava no Google a imagem de um coração partido. Gostei de ler e me ajudou. Espero que ajude outra pessoa. Este artigo foi retirado do PsychCentral.com e escrito por Therese J. Borchard, editora associada

Bess Myerson escreveu certa vez que & # 8220apaixar-se é terrivelmente simples, mas apaixonar-se é simplesmente horrível. & # 8221 Especialmente se você é aquele que queria que o relacionamento durasse.

Consertar um coração partido nunca é fácil. Não há maneira rápida de impedir que seu coração doa tanto.

Parar de amar não é uma opção. O autor Henri Nouwen escreve, & # 8220, quando aqueles que você ama muito o rejeitam, o deixam ou morrem, seu coração ficará partido. Mas isso não deve impedir você de amar profundamente. A dor que vem do amor profundo torna o seu amor cada vez mais fecundo. & # 8221

Mas, como vamos além da dor? Aqui estão 10 dicas < Therese Borchard > reunidos de especialistas e de conversas com amigos sobre como eles remendaram seus corações e tentaram, gradualmente, seguir em frente.

1. Passe por ele, não ao redor.

A tarefa mais difícil para uma pessoa com o coração partido é ficar parada e sentir a rachadura. Mas é exatamente isso que uma pessoa deve fazer. Porque nenhum atalho está livre de obstruções. Aqui está um fato simples: você tem que sofrer para seguir em frente & # 8230 Contornando alguns dos problemas que estão destruindo você por dentro, você os encontrará em algum lugar ao longo da linha, como se fosse pego no centro de uma rotatória. Ao passar pela dor intensa, você acabará por vir à tona como uma pessoa mais forte que está pronta para enfrentar os problemas de frente. Logo a dor perderá sua fortaleza sobre você.

2. Desprenda-se e deleite-se com sua independência novamente.

Tentar preencher o vazio por si mesmo & # 8211 sem apressar-se em um novo relacionamento ou tentar desesperadamente reconquistar seu amante & # 8211 é essencialmente o que significa desapego. Um dos pensamentos mais libertadores que Therese Borchard repete para si mesma quando está imersa em pesar e tristeza é este: Não preciso de ninguém nem de nada para me fazer feliz. É seu trabalho preencher o vazio e você pode fazê-lo & # 8230 criativamente e com a ajuda de Deus.

3. Liste seus pontos fortes.

Uma técnica bem-sucedida que ajuda quando você se sente fraco e derrotado é listar seus pontos fortes. Se você não consegue listar seus pontos fortes, comece um arquivo de auto-estima. Clique aqui para saber como você constrói um.

4. Permita algumas fantasias.

O luto não seria o processo natural que deveria ser sem algum anseio pela pessoa que você acabou de perder. A Dra. Christine Whelan, que escreve o & # 8220Pure Sex, Pure Column & # 8221 no BustedHalo.com, explica a lógica de permitir um pouco de fantasia. Ela escreve:

Em um famoso estudo psicológico da década de 1980, um grupo de sujeitos foi instruído a pensar em qualquer coisa, mas o que quer que eles fizessem, eles não deveriam pensar em um urso branco. Adivinha o que todos eles pensaram? Um urso branco.

5. Ajude outra pessoa.

Quando você volta sua atenção para outra pessoa & # 8211 especialmente alguém que está lutando com o mesmo tipo de dor & # 8211, você se esquece de si mesmo por um momento. E vamos encarar isso, que, em alguns dias, parece um milagre.

6. Rir e chorar.

O riso cura em muitos níveis, assim como o choro. Você acha que é apenas uma coincidência você sempre se sentir melhor depois de um bom choro? Não, existem muitas razões fisiológicas que contribuem para o poder de cura das lágrimas. Algumas dessas razões foram documentadas pelo bioquímico William Frey, que passou 15 anos como chefe da equipe de pesquisa estudando as lágrimas. Entre suas descobertas está que as lágrimas emocionais (em comparação com as lágrimas de irritação, como quando você corta uma cebola) contêm subprodutos bioquímicos tóxicos, de modo que o choro remove essas substâncias tóxicas e alivia o estresse emocional. Então, vá pegar alguns lenços de papel e chore a tarde toda.

7. Faça uma lista boa e má.

Você precisa saber quais atividades farão você se sentir bem e quais farão você querer passar papel higiênico na casa (ou apartamento) do seu ex-namorado. Você não saberá realmente qual atividade pertence a qual lista até que comece a tentar coisas, mas suspeito que coisas como verificar o mural dele no Facebook e ver que ele acabou de postar uma foto de sua linda nova namorada não vão te fazer se sentir bem, então coloque isso na lista de “não tente”, junto com e-mails e telefonemas para seus amigos que procuram informações sobre ele. Na lista "parece ótimo" podem ser encontrados empreendimentos como: deletar todos os seus e-mails e mensagens de voz do seu telefone, penhorar as joias que ele lhe deu (usando o dinheiro para uma massagem tão necessária?), Rir do café com um novo amigo que não o conhece de Adam (para garantir que seu nome não apareça).

8. Resolva isso.

Resolver o luto literalmente - correndo, nadando, fazendo exercícios, caminhando ou fazendo kickboxing - vai lhe dar um alívio imediato. Em um nível fisiológico - porque o exercício aumenta a atividade da serotonina e / ou norepinehrine e estimula os produtos químicos cerebrais que promovem o crescimento das células nervosas - mas também em um nível emocional, porque você está assumindo o comando e se tornando o mestre de sua mente e corpo. Além disso, você pode visualizar o sujeito que é responsável por sua dor e pode chutá-lo no rosto. Agora não é bom?

9. Crie um novo mundo.

Isso é especialmente importante se o seu mundo colidiu com o dele, o que significa que amigos em comum que o viram na última semana sentirão necessidade de contar a você sobre isso. Crie seu próprio mundo seguro - cheio de novos amigos que não o reconheceriam em uma multidão e não sabem como soletrar seu nome - onde ele não tenha permissão para aparecer para uma visita surpresa figurativa ou literal. Aproveite esta oportunidade para experimentar algo novo - aulas de mergulho, uma aula de arte, um clube do livro, um blog - para programar sua mente e corpo para esperar um novo começo ... sem ele (ou ela).

10. Encontre esperança.

“Existe uma emoção que é mais forte do que o medo: o perdão.” Mas o perdão requer esperança: acreditar que existe um lugar melhor, que o vazio dolorido vivido em todas as suas atividades não estará com você para sempre, que um dia você estará animado para fazer um café pela manhã ou ir ao cinema com os amigos . Esperança é acreditar que a tristeza pode evaporar, que se você tentar seguir em frente com sua vida, seu sorriso nem sempre será forçado. Portanto, para perdoar e superar o medo, você precisa encontrar esperança.

E lembre-se de amar novamente ...

Uma vez que nossos corações estão machucados e queimados por um relacionamento que acabou, temos duas opções: podemos fechar pedaços de nosso coração para que um dia ninguém possa entrar. Ou podemos amar novamente. Profundamente, tão intensamente quanto antes. Henri Nouwen anseia por amar novamente porque o coração só se expande com o amor que somos capazes de derramar. Ele escreve:

Quanto mais você amou e se permitiu sofrer por causa do seu amor, mais você será capaz de deixar seu coração crescer mais amplo e profundo. Quando o seu amor é verdadeiramente dar e receber, aqueles a quem você ama não deixarão seu coração, mesmo quando se afastarem de você. A dor da rejeição, ausência e morte pode se tornar fecunda. Sim, à medida que você ama profundamente, a base do seu coração será cada vez mais quebrada, mas você se alegrará com a abundância dos frutos que ela produzirá.


Como consertar um coração partido

Quando o amor se desfaz, abraçar sua vida como ela é - agonia, infortúnio e tudo mais - pode ajudá-lo a se curar. Experimente esta prática de atenção plena em três etapas para ajudá-lo a encontrar estabilidade e um pouco de facilidade.

Meu coração parecia que estava sendo espremido por um moedor de carne. Eu não conseguia parar de chorar enquanto dirigia meu Volvo azul claro pelas ruas de Vancouver, pensando, para citar os BeeGees, "Como você pode consertar um coração partido?"

É natural querer amor. Mas às vezes, apesar de todas as coisas boas que você está fazendo para mantê-lo, o amor se desintegra. E você desmorona e tudo ao seu redor parece desmoronar. E parece podre. Mesmo se você tiver uma prática regular de atenção plena, neste momento angustiante você pode não querer se concentrar em sua respiração ou em seu corpo porque tudo parece tão cru e horrível - e então você pode se sentir culpado porque acha que deveria praticar, mas você simplesmente não pode ou não quer. Mas enquanto isso você está realmente sofrendo e gostaria de se sentir melhor. Então, whaddayagonnado?

Às vezes, um coração partido pode parecer como se alguém o tivesse acertado com um taco de beisebol. Manter a consciência, também conhecido como atenção plena, é permanecer presente nos momentos em que você pode querer rastejar sob a varanda como um cachorro sofrendo, percebendo a dor de uma maneira particular, para que possa oferecer a si mesmo profunda ternura e compaixão e abraçar sua vida como ela é —Agonias, infortúnios e tudo.

O exato momento em que você prefere afastar os sentimentos desagradáveis ​​que o estão devorando vivo como formigas de fogo, ou os sentimentos devastadores que fazem você pensar que nunca mais quer amar de novo, ou os sentimentos tolos de rosto vermelho que esquentam a vergonha, é no momento em que sua prática de atenção plena pode vir em seu auxílio.

Aproxime-se de si mesmo como se fosse uma criatura que encontrou no deserto. Pausa. Analise os detalhes. Vá devagar. Aborde-se com cuidado e simpatia.

Para começar: observe suavemente o turbilhão emocional e se espalhe com o leite da bondade humana. A vida pode parecer tão difícil, mas não temos que torná-la mais difícil sendo mais duros conosco mesmos. Não temos que gostar quando a tristeza está presente, mas podemos investigar como podemos enfrentar o que está além do nosso controle ou escolha.

Esteja ciente de qual canal sua TV mental está sintonizada. Não perceba o quanto você é atraído para repetir memórias dolorosas indefinidamente. Você pode esperar que este festival de filmes de autotortura o faça se sentir melhor, mas a ciência do cérebro sugere que fixar-se nos ossos mortos de qualquer coisa serve apenas para treinar involuntariamente o cérebro para fazer dessa história dolorosa o seu novo devorador de pensamentos.

Em tempos de grande angústia, você pode se aproximar de si mesmo como se fosse uma criatura que encontrou no deserto. Pausa. Analise os detalhes. Vá devagar. Aborde-se com cuidado e simpatia.

Observe as voltas de pensamento em sua cabeça, como questionar maneiras pelas quais você poderia ter feito as coisas funcionarem de forma diferente. Se você estiver pronto para isso, traga atenção para as sensações corporais que esses circuitos de pensamento ativam. Os pensamentos geralmente não são vivenciados de maneira neutra - eles colocam reações químicas e impulsos em movimento. Bem-vindo a consciência que lhe dá permissão para se voltar intencionalmente para o amor e o cuidado por aquele que é conhecido como você.

Mesmo que a dor do desgosto esteja queimando você como um banho de ácido, você ainda pode precisar ir para o trabalho, cuidar da família e, em geral, continuar a funcionar. É aí que nossa prática de atenção plena nos ajuda a permanecer envolvidos com nossas vidas, mesmo quando elas parecem estar se desintegrando.

Prática: Cura de desgosto

Este A.W.E. de três etapas a prática pode ajudá-lo a diminuir o sofrimento e permanecer envolvido com sua vida preciosa, mesmo quando você preferir não fazê-lo.

  1. Permitir sentir as sensações confusas, giratórias e desconfortáveis ​​que aparecem. É natural querer fugir da dor, mas enfrentar a dor psicológica pode ser exatamente o que nos livra de sua opressão. Se as condições permitirem: Sinta-o para curá-lo.
  2. Receber o que você está sentindo e percebendo com terna curiosidade. A aceitação pode reduzir a agitação e a resistência - amigos que freqüentemente atuam como gatilhos para lutar, fugir, congelar. A facilidade geralmente acompanha a capacidade de ter compaixão por si mesmo e pelos outros.
  3. Experiência gratidão - o presente que continua sendo oferecido. Se puder, descubra qualquer coisa sobre a situação pela qual ser grato. Considere qualquer coisa que você possa ter aprendido ou qualquer crescimento que tenha nutrido. Veja se manter toda a experiência desagradável com uma atitude de gratidão lhe dá a oportunidade de aliviar sua carga.

10 maneiras de consertar um coração partido!

Quando passamos uma quantidade significativa de tempo com alguém, somos obrigados a nos apegar a essa pessoa. Nosso relacionamento se torna um hábito e ficamos viciados, senão naquela pessoa, pelo menos, na rotina que compartilhamos com ela. Assim como qualquer outro vício, o amor é difícil de conquistar. Leva tempo, devoção e disciplina para se libertar. Entenda que não era para ser, saiba que melhores oportunidades existem e tenha certeza de que seu parceiro ideal ainda está esperando. Não sou romântico, mas sou realista. Eu acredito em felizes para sempre porque tal coisa existe. Mas isso só acontecerá se você for disciplinado e forte o suficiente para deixar o passado para trás e abraçar um futuro mais saudável. Mude seus hábitos antes que seja tarde demais.

2. Interrompa todos os contatos e minimize a possibilidade de qualquer contato futuro

Exclua o número e se você memorizou, certifique-se de não ligar ou enviar mensagens de texto para eles. Tire uma semana ou um mês de férias, se puder, e desligue o telefone durante esse período. Não é uma possibilidade? Está tudo bem. Compartilhe momentos de qualidade com amigos e familiares que estão perto de você. Não verifique as mídias sociais do seu ex & # 8217s, não vá a lugares que vocês dois foram e parem de olhar coisas que os lembram dele. Quaisquer memórias e / ou novas informações relacionadas a elas podem prolongar o processo de recuperação. Quando acaba, acaba & # 8217 acaba. Não era para ser assim e um coração partido só vai se curar se você permitir que ele cure em vez de abri-lo a cada poucas horas ou dias. Você não precisa de um lembrete constante do que ele está fazendo ou de onde pode encontrá-lo. Pare de pensar neles. Verifique a si mesmo e evite qualquer coisa que possa causar mais dor de cabeça. Você não merece.


3. Cerque-se de pessoas positivas

Pessoas positivas encorajam mudanças positivas. É crucial nos cercar de modelos inspiradores. Nossos cônjuges devem realmente ser os mais inspiradores e podem nos ensinar e ajudar a nos tornarmos uma pessoa melhor. A vida é muito curta para se prender a uma crise. Os altos e baixos fazem parte do jogo. Pessoas que são realizadoras podem nos ensinar que não importa quão destrutiva e ameaçadora seja a situação, as coisas pioram. Seu otimismo para o futuro nos mostra que tudo tem uma data de validade, boa ou ruim, e nós somos muito mais fortes do que julgamos ser.

4. Mantenha-se distraído

Não há nada pior do que estar acordado às 2 da manhã relendo nossos textos do ex & # 8217s e pensando constantemente nele. Isso é tão tóxico. Isso nos deprime, muitas vezes nos obriga a escrever textos embaraçosos dos quais nos arrependeremos mais tarde e atrasa o processo de cura. É fundamental garantir que isso não aconteça. Fique ativo e envolvido o dia todo. Quanto mais ativo você for fisicamente, menores serão as chances de ficar acordado à noite. Procure acordar mais cedo. Há tantas coisas para fazer pela manhã. Se você está pensando em iniciar seu próprio negócio, este é o momento perfeito para fazê-lo. Sua vida acabou, deixando você com muito tempo para se concentrar em seus sonhos.

5. Pare de falar com todos sobre isso:

Quanto mais você ficar obcecado, pior será. As pessoas terão pena de você ou dirão & # 8216Que terrível & # 8217 e depois voltarão ao que estavam fazendo. As pessoas geralmente não se importam. Pelo contrário, todo mundo odeia aquele soluço triste que está preso ao seu ex e não consegue pronunciar uma frase sem se referir a ele. Quanto mais você se detém em um determinado assunto, mais difícil é para você seguir em frente. Faça a promessa de não discutir este tópico e, em seguida, não o faça. Quando você sentir vontade de falar sobre isso, force-se a calar a boca. Você tem o poder de esquecer e seguir em frente. Apenas pare de se torturar ativando constantemente as mesmas vias neurais.

6. Comece do zero e seja incrível

Reinvente-se e tenha a melhor aparência possível, faça novos amigos e inicie novas atividades. Vá para a academia e comece a se concentrar em sua dieta. Faça um novo corte de cabelo, manicure e pedicure, faça uma massagem. Ser solteiro significa que você tem ainda mais tempo para se concentrar em si mesmo. Parece ótimo. É verdade que isso vai irritar o seu ex, mas fará maravilhas por você. Um corpo bem cuidado resultará em uma mente mais saudável e feliz.

Concentre-se no trabalho e comece a pensar em projetos que o ajudem a avançar em sua carreira. O desgosto, para muitas pessoas, foi um ponto em que mudaram suas vidas e criaram grandes coisas. Lembre-se de seus sonhos que se perderam quando essa dinamite de uma pessoa parecia tirar seu fôlego & # 8230bem, a ilusão de amor agora se desvaneceu e a realidade já deveria ter entrado em ação. Sua grandiosidade diminuirá em contraste com suas realizações e trabalho árduo no futuro próximo. Isso eu posso garantir.

8. Não seja tão duro consigo mesmo

Os relacionamentos são uma via de mão dupla. Se não deu certo, foi porque vocês dois não eram compatíveis, não porque vocês sempre erraram. Devemos assumir a responsabilidade por nossas ações, mas a culpa desnecessária é improdutiva. Não foi sua culpa. Pare de pensar no que poderia ter sido. Fique feliz por isso ter acontecido e te ajudado a crescer como pessoa.

Se você não estiver pronto para namorar novamente, não se force. Basta sair, viajar e se divertir. Você só consegue viver uma vez. Por que perder tempo com alguém que deveria compartilhar apenas uma parte de sua vida? Há muito mais coisas a fazer do que esperar por um. E quando você estiver pronto para voltar para a cama, não hesite. Dê esse salto de fé. Nem todo relacionamento está fadado a ser um desastre.

10. Pare de ler postagens como estas:

Você precisa seguir em frente, não constantemente investigar por que vocês dois terminaram ou como deixar o passado para trás. A parte da autoajuda da Internet só pode ajudá-lo até certo ponto. Se você conhece todas essas regras de cor e já se passaram mais de 3 meses, então você realmente precisa abandonar tudo que se refere ao & # 8216relacionamento & # 8217. Deixe o passado ficar no passado. Concentre-se em você mesmo e priorize seus sonhos e ambições. Todo mundo está cuidando de si mesmo. É hora de você aprender a fazer o mesmo.


10 dicas que reuni de especialistas e de conversas com amigos sobre como eles remendaram seus corações e tentaram, gradualmente, seguir em frente. Como vidente, frequentemente encontro clientes que estão passando por um rompimento durante as leituras psíquicas. Embora seja um desafio, tento convencê-los de por que é melhor deixar ir, se não apenas dar um passo para trás e respirar fundo. Pegue meu novo livro GRATUITAMENTE neste mês de outubro de 2018 Finding Your True Love

Sei que a tarefa mais difícil para uma pessoa com o coração partido é ficar parada e sentir a rachadura. Mas isso é exatamente o que ela deve fazer. Porque nenhum atalho está livre de obstruções. Aqui está um fato simples: você tem que sofrer para seguir em frente. Durante os 18 meses de minha depressão severa, meu terapeuta repetiu quase todas as visitas: “Passe por isso. Não por perto. ” Porque se eu contornasse alguns dos problemas que estavam me dilacerando por dentro, então os encontraria em algum ponto da linha, como se fosse pego no meio de uma rotatória. Ao passar pela dor intensa, acabei aparecendo como uma pessoa mais forte, pronta para enfrentar os problemas de frente. Logo a dor perdeu sua fortaleza sobre mim.

2. Desprenda-se e deleite-se com sua independência novamente.

Tentar preencher o vazio sozinho - sem apressar-se para um novo relacionamento ou tentar desesperadamente reconquistar o seu amante - é essencialmente o que significa desapego. O Buda ensinou aquele apego que leva ao sofrimento. Portanto, o caminho mais direto para a felicidade e a paz é o desapego.

3. Liste seus pontos fortes.

Como escrevi em meu post “12 Ways to Keep Going”, uma técnica que me ajuda quando me sinto cru e derrotado para tentar mais é listar meus pontos fortes. Eu digo a mim mesmo: “Eu, você está sóbrio há 20 anos !! Os fracos não conseguem tirar isso! E aqui está você, vivo, após aqueles 18 meses de intensos pensamentos suicidas. Além disso, você não fuma um cigarro desde aquele funeral em dezembro do ano passado! ” Digo tudo isso enquanto ouço a trilha sonora de "Rocky" e, na última linha, estou pronto para enfrentar meu próximo desafio: superar essa tristeza e tentar ser um indivíduo produtivo neste mundo. Se você não consegue listar seus pontos fortes, comece um arquivo de auto-estima. Clique aqui para saber como você constrói um.

4. Permita algumas fantasias.

O luto não seria o processo natural que deveria acontecer sem algum desejo pela pessoa que você acabou de perder. Dra. Christine Whelan, que escreve “Pure Sex, Pure Column” no BustedHalo.com, explica a lógica de permitir um pouco de fantasia. Ela escreve:

Se você está tentando banir uma fantasia sexual de sua cabeça, dizer a si mesmo "Não vou fantasiar com ela" ou "Não vou pensar sobre como seria ter intimidade com ele" pode piorar ... Em um famoso estudo psicológico da década de 1980, um grupo de sujeitos foi instruído a pensar sobre qualquer coisa, mas o que quer que eles fizessem, eles não deveriam pensar em um urso branco. Adivinha o que todos eles pensaram? [Um urso branco.]

5. Ajude outra pessoa.

Quando estou com dor, o único antídoto garantido para o meu sofrimento é encaixar todos os meus sentimentos, classificá-los e, em seguida, tentar encontrar um uso para eles. É por isso que escrever Beyond Blue contribui muito para a minha recuperação, porque moderar o Group Beyond Blue me deixa animado para acordar todos os dias. Quando você volta sua atenção para outra pessoa - especialmente alguém que está lutando contra o mesmo tipo de dor - você se esquece de si mesmo por um momento. E vamos encarar isso, em alguns dias, parece um milagre. Deixe-me ajudá-lo com uma leitura psíquica.

6. Ria. E chora.

O riso cura em muitos níveis, conforme explico em meu artigo “9 maneiras de curar o humor”, assim como o choro. Você acha que é apenas uma coincidência você sempre se sentir melhor depois de um bom choro? Nope, there are many physiological reasons that contribute to the healing power of tears. Some of them have been documented by biochemist William Frey who has spent 15 years as head of a research team studying tears. Among their findings is that emotional tears (as compared to tears of irritation, like when you cut an onion) contain toxic biochemical byproducts, so that weeping removes these toxic substances and relieves emotional stress. So go grab a box of Kleenex and cry your afternoon away.

7. Make a good and bad list.

You need to know which activities will make you feel good, and which ones will make you want to toilet paper your ex-lover’s home (or apartment). You won’t really know which activity belongs on which list until you start trying things, but I suspect that things like checking out his wall on Facebook and seeing that he has just posted a photo of his gorgeous new girlfriend is not going to make you feel good, so put that on the “don’t attempt” list, along with e-mails and phone calls to his buddies fishing for information about him. On the “feels peachy” list might be found such ventures as: deleting all of his e-mails and voicemails, pawning off the jewelry he gave you (using the cash for a much-needed massage?), laughing over coffee with a new friend who doesn’t know him from Adam (to ensure his name won’t come up).

8. Work it out.

Working out your grief quite literally — by running, swimming, exercising, walking, or kick-boxing — is going to give you immediate relief. On a physiological level — because exercise increases the activity of serotonin and/or norepinehrine and stimulates brain chemicals that foster growth of nerve cells — but also on an emotional level, because you are taking charge and becoming the master of your mind and body. Plus you can visualize the fellow who is responsible for your pain and you can kick him in the face. Now doesn’t that feel good?

9. Create a new world.

This is especially important if your world has collided with his, meaning that mutual friends who have seen him in the last week feel the need to tell you about it. Create your own safe world — full of new friends who wouldn’t recognize him in a crowd and don’t know how to spell his name — where he is not allowed to drop by for a figurative or literal surprise visit. Take this opportunity to try something new — scuba diving lessons, an art class, a book club, a blog — so to program your mind and body to expect a fresh beginning… without him (or her).

10. Find hope.

There’s a powerful quote in the movie The Tale of Despereaux that I’ve been thinking about ever since I heard it: “There is one emotion that is stronger than fear, and that is forgiveness.” I suppose that’s why, at my father’s deathbed, the moment of reconciliation between us made me less scared to lose him. But forgiveness requires hope: believing that a better place exists, that the aching emptiness experienced in your every activity won’t be with you forever, that one day you’ll be excited to make coffee in the morning or go to a movie with friends. Hope is believing that the sadness can evaporate, that if you try like hell to move on with your life, your smile won’t always be forced. Therefore in order to forgive and to move past fear, you need to find hope.

And remember to love again…

Once our hearts are bruised and burned from a relationship that ended, we have two options: we can close off pieces of our heart so that one day no one will be able to get inside. If you would like a psychic reading with me, give a call 201 315 5587 0r stop by the “services tap right here on the website. cant wait to read for you. Picky up my new book Finding Your True Love for FREE for the month of October 2018. billy Psychic Reading Services


How to Mend a Broken Heart

When love falls apart, embracing your life as it is—agony, misfortune, and all—can help you heal. Try this three-step mindfulness practice to help you find stability and a little bit of ease.

My heart felt as if it were being squeezed through a meat grinder. I couldn’t stop sobbing as I drove my pale blue Volvo through the streets of Vancouver, wondering, to quote the BeeGees, “How can you mend a broken heart?”

It is natural to want love. But sometimes, in spite of all the good things you are doing to keep it going, love falls apart. And you fall apart and everything around you seems to fall apart. And it feels rotten. Even if you have a regular mindfulness practice, at this gut-wrenching moment you might not want to focus on your breath or your body because it all feels so raw and horrible—and then you might feel guilty because you think you should be practicing, but you just can’t or don’t want to. But meanwhile you are really suffering and would like to feel better. So whaddayagonnado?

Sometimes a broken heart can feel as if someone has taken a baseball bat to it. Maintaining awareness, a.k.a. mindfulness, is about staying present to the times you might want to crawl under the porch like a suffering dog, noticing hurt in a particular way, so that you can offer yourself deep tenderness and compassion and embrace your life as it is—agonies, misfortunes, and all.

The very moment that you would prefer to push away the nasty feelings that are eating you alive like fire ants, or the devastating feelings that make you think you never want to love again, or the red-faced foolish feelings that heat up shame, is the moment your mindfulness practice can come to your aid.

Approach yourself as though you were a creature you’ve happened upon in the wilderness. Pause. Take in the details. Go slowly. Approach yourself with care and friendliness.

To begin: Gently notice the emotional maelstrom and slather yourself with the milk of human kindness. Life can feel so hard but we don’t have to make it harder by being harder on ourselves. We don’t have to like it when sorrow is present, but we can investigate how we might stand up to what is beyond our control or choice.

Be aware of which channel your mental TV is tuned to. No notice how much you are drawn to replaying painful memories over and over. You might be hoping that this self-torture film festival will make you feel better, but brain science suggests that fixating on the dead bones of anything only serves to unwittingly train the brain to make this painful story your new go-to thought-munchie.

In times of great distress, you might approach yourself as though you were a creature you’ve happened upon in the wilderness. Pause. Take in the details. Go slowly. Approach yourself with care and friendliness.

Notice the thought-loops in your head, like questioning ways you could have made things work out differently. If you’re up for it, bring attention to the body sensations these thought-loops activate. Thoughts are not usually experienced in a neutral way—they set chemical reactions and urges in motion. Welcome awareness that gives you permission to intentionally turn toward love and care for the dear one known as you.

Even if the pain of heartbreak is burning you like an acid-bath, you may still need to go to your job, take care of family, and generally continue to function. That’s where our mindfulness practice helps us stay engaged with our lives, even when they seem to be falling apart.

Practice: Healing from Heartbreak

This three-step A.W.E. practice can help you lessen suffering and stay engaged with your precious life, even when you’d rather not.

  1. Permitir yourself to feel the messy, swirling, uncomfortable sensations that show up. It is natural to want to flee from pain, but turning to face psychological pain can be the very thing that frees us from its overwhelm. If conditions allow: Feel it to heal it.
  2. Receber what you are feeling and noticing with tender curiosity. Acceptance can reduce agitation and resistance—chums that often act as triggers for fight, flight, freeze. Ease often accompanies the ability to have compassion for self and others.
  3. Experiência gratitude—the gift that keeps on giving. If you can, find anything at all about the situation to be thankful for. Consider anything you may have learned, or any growth that was nurtured. See if holding the whole unpleasant experience with an attitude of gratitude gives you the opportunity to lighten your load.

Home of the free because of the brave.

"The American flag does not fly because the wind moves it. It flies from the last breath of each solider who died protecting it."

On this present day in America, we currently have over 1.4 million brave men and women actively listed in the armed forces to protect and serve our country.

Currently there is an increased rate of 2.4 million retiree's from the US military

Approximately, there has been over 3.4 million deaths of soldiers fighting in wars.

Every single year, everyone look's forward to Memorial Day Weekend, a weekend where beaches become overcrowded, people fire up them grills for a fun sunny BBQ, simply an increase of summer activities, as a "pre-game" before summer begins.

Many American's have forgot the true definition of why we have the privilege to celebrate Memorial Day.

In simple terms, Memorial Day is a day to pause, remember, reflect and honor the fallen who died protecting and serving for everything we are free to do today.

Thank you for stepping forward, when most would have stepped backwards.

Thank you for the times you missed with your families, in order to protect mine.

Thank you for involving yourself, knowing that you had to rely on faith and the prayers of others for your own protection.

Thank you for being so selfless, and putting your life on the line to protect others, even though you didn't know them at all.

Thank you for toughing it out, and being a volunteer to represent us.

Thank you for your dedication and diligence.

Without you, we wouldn't have the freedom we are granted now.

I pray you never get handed that folded flag. The flag is folded to represent the original thirteen colonies of the United States. Each fold carries its own meaning. According to the description, some folds symbolize freedom, life, or pay tribute to mothers, fathers, and children of those who serve in the Armed Forces.

As long as you live, continuously pray for those families who get handed that flag as someone just lost a mother, husband, daughter, son, father, wife, or a friend. Every person means something to someone.

Most Americans have never fought in a war. They've never laced up their boots and went into combat. They didn't have to worry about surviving until the next day as gunfire went off around them. Most Americans don't know what that experience is like.

However, some Americans do as they fight for our country every day. We need to thank and remember these Americans because they fight for our country while the rest of us stay safe back home and away from the war zone.

Never take for granted that you are here because someone fought for you to be here and never forget the people who died because they gave that right to you.

So, as you are out celebrating this weekend, drink to those who aren't with us today and don't forget the true definition of why we celebrate Memorial Day every year.

"…And if words cannot repay the debt we owe these men, surely with our actions we must strive to keep faith with them and with the vision that led them to battle and to final sacrifice."


7 Steps to Mend a Broken Heart

How can you mend a broken heart?
How can you stop the rain from falling down?
How can you stop the sun from shining?
. Please help me mend my broken heart and let me live again.
-- lyrics from the Bee Gee's 1971 hit song

When we suffer a deep loss or trauma our hearts can literally feel like they have been shattered into a million pieces. Or we feel that our heart has broken open and we are bleeding metaphorically. At times it can even be difficult to breathe. Our heart is both a living organ that is our life source as well as an emotional mind/body metaphor referred to when we experience heartache and sorrow. It's as if the heart that beats to an electrical energy wave becomes short circuited and burns out, flares out or is broken into many tiny pieces.

After the initial shock of a loss many feel the need to push aside their grief lest it overwhelm them with its intensity. This is understandable, but the longer you avoid your pain and attempt to push it away, the more difficult it will be to break out of the paralysis. Just as birds are drawn to bread crumbs on the ground, the pain will keep returning after you shoo it away.

When I work with my patients in the initial stage of sorrow I suggest that at first they just sit with their pain and grief, simply noticing it as if they are sitting on a riverbank watching these heavy feelings float downstream. During this time many of them ask, "Why is this happening to me?" While it is impossible for us to see the big picture, I suggest to them that when they are ready to use this experience to honor themselves by learning and growing from it. A translation of a Rumi poem says, "When your heart breaks (open), journey deep inside." So if you are going to be courageous and take that journey it's helpful to be guided by the following seven steps for overcoming and transforming a broken heart.

Step 1: Struggle With Denial

Denial is the first round of defense that we immediately enter into, like the first chamber in the heart that breaks. In this inner chamber we face the demons trying every which way to not accept the loss. It's as if a visitor with bad news has entered our home, and we try to push him/her back outside so we don't have to listen to the painful message.

Step 2: Acknowledging Your Brokenness

You must start to acknowledge to yourself that your heart has been broken by someone, something or some event. Step into the experience of attempting to tolerate the unbearable quality of this sorrow. I say "attempt" to deal with the sorrow, as you must acknowledge your pain in order over time to learn to manage, handle, and heal it.

Step 3: Overcoming Rationalization

We rationalize this is not happening, it can't be so, it's only a terrible nightmare, things will change and everything will be as it was! The denial of pain. We pray to God that if this experience is taken from us we will repent, we will change, we will dedicate our life to a great cause. Anything but to feel this deep, aching wound of hurt and sorrow. So often when our heart is breaking we want someone, anyone, to tell us what to do, or where to go, or how to instantly heal.

Step 4: Surrender

The Beatles insightful song Tomorrow Never Knows says, "Turn off your mind, relax and float down stream . That you may see the meaning of within." The step of entering into the chamber of surrender is an essential stage in order to allow the self to begin the arduous process of mending a broken heart. When we surrender, we enter the state of not knowing and not doing. Since we do not know just how long the journey will take, it is helpful to accept that we never fully get over a loss but instead learn to navigate through it. "Taking as long as it takes" is a phrase I use with my patients while they are in this stage.

Step Five: Acceptance

It takes great courage to pull yourself up off the floor, bed, or couch and get back into the world when your heart is broken. Acceptance gives us the first few steps we need to begin to slowly scratch and claw our way back into the land of the living. One of the most painful aspects of when I had a broken heart was going out to the movies or dinner or on a vacation, and all I ever saw was couples or families, but still we need to exercise the organ of the emotional heart with fierce grace in order to step forward and go back outside into the world of possibilities.

Step Six: Embrace the Now

The Buddha said what is past is now dead and gone the past is the past, the present is now, and the future is yet to arrive. When grieving we tend to live in the past, reliving the trauma or memories of the one we lost. Now, memories are important to maintain, but within reason. In order to take the next step we must embrace the present to manifest the future. One of the easiest and most effective techniques that I recommend to my patients is to develop a mindfulness meditation practice (see the video below for tips on how to meditate). By practicing mindfulness we can learn to slowly tolerate, face the painful feelings, and slow down the afflictive and repetitive thought patterns. In my book Wise Mind, Open Mind, I have a specific meditation to overcome a broken heart. Mindfulness is both an ancient and modern non-sectarian method for teaching us to follow our breath in and out and to relax, to let go of the pain and eventually release and transform it into vitality, acceptance and equanimity. Other methods to help one become more present are yoga, Tai Chi, walks in nature, jogging or visiting museums.

Step Seven: Create a New Future

There is a field of thinking within positive psychology that says the way through pain includes becoming your own architect and actively engaging and involving yourself in the planning of a new future. The victim in us will want to remain on the floor curled up in agony, wishing to avoid any future painful experiences that life may present to us. One who is engaged and empowered realizes and accepts that the past is the past and all we have now is the present moment and the future. It's all in the next breath in and the next breath out and creating in your mind's eye a future storyline for yourself. Dare to dream and be wild with your imagination. Have the courage to dream any positive, loving, creative future with no bounds. Remember, after death comes rebirth!

It's your storyline you are creating, like writing the next chapter of your life in a novel. But in your story I challenge you to JUMP into the water, catch the next wave and maybe you will just be surprised and delighted to experience yourself riding that new wave with confidence, joy and possibility!


Tips to Mend a Broken Heart

Tips to Mend a Broken Heart

One of the most difficult feelings a person can experience is a broken heart. The pain is so immense that when it happens for the first time, it truly and sincerely seems like the end of the world. In the first period it is getting up in the morning into a nightmare.

You open your eyes and he is not there and everything is empty, gray and painful. The continuation of the day is no better either. You can not concentrate on anything, nothing makes you happy and no one else can fill the gap that is open within you.

Suddenly you feel that you are not worth anything and that the situation of everyone around you is better than your own. You do not believe it will ever pass, and you can not imagine the day when you will not feel the mad longing for it.

You seek solace, and cling to the words of those who promise that all is well, but no encouragement really convinces you and the feeling of relief does not last, until every now and then, it crosses your mind that he has scarred you forever.

As someone who has experienced this feeling more than once, I want to tell you that this is not the case, to clarify exactly what you can expect, and how you can relieve yourself during this difficult time. First of all, it is important to remember that nothing in you has been fundamentally undermined.

Admittedly your ego has suffered a very severe injury, but when it recovers everything will return to normal. The feeling that you are worthless and that your situation is worse than everyone else’s will pass. And even though that’s how it feels now, you will not always love him!

More than that – you will not always be attracted to him either! The day will come when his scent will deter you and you will not want him to touch you.

Tips to Mend a Broken Heart

It may be that when the infatuation fades you will find out that you do not like him at all and do not even love him, and although at the moment it is difficult for you to believe it, the day is near when someone else will take its place in your heart.

I promise you very soon you will start to feel like you are alive again, but even though it will be a marked improvement over what you are feeling now, the heartache may last for many more months, disappear and come back suddenly, after you were already sure it was gone.

The difficulty in recovering is not necessarily a result of the depth of your love towards the guy who will break up with you. It is most difficult for us to recover when we feel hurt and betrayed, as if someone has trampled us and we are not equal. In such a case, the ego rages, the longing for revenge but also longs for it.

Another thing that can affect the difficulty of recovery is the expectations you have nurtured. One of the relationships I had the hardest time recovering from lasted a total of a week.

And although there was a certain connection between us, from the beginning I realized that he was not my significant one. But because he answered my entire “grocery list,” it was very difficult for me to break free from the idea that I had missed the perfect man.

So what can you do in the meantime to ease the situation?
At the end of the day, even if your emotion is irrational, it is still extremely painful, so you should do everything you can to alleviate the situation. I’ll start with the biggest scar where you may scar yourself with your own hands.

I’m talking about the need to blacken his image in your mind’s eye, in order to “return” him. This need causes you to condemn him, to tell over and over again how much he has hurt, abused and scarred you, and how his actions have made the male sex in general unworthy of your trust.

But the condemning and negative speech does provide momentary comfort and make you feel a little better about yourself for a moment, but when you exaggerate and distort things and ignore all the beautiful moments, you cause yourself excessive and unrealistic fear of future relationships.

Tips to Mend a Broken Heart

I recommend that you learn to “read the map” – that is, you will teach yourself at the beginning of the relationship to ask the right questions and analyze the findings to know if you can trust it or if this relationship will explode inside you again.

Remember that the less balanced it is, the more likely you are to get hurt. It is also important that you honestly examine your part in the relationship. One of my clients, for example, accused her ex-partner of exploiting her.

“After everything I did for him,” she complained. I reminded her that while she continues to do more and more for a person who does not give her anything in return, she teaches him that it is okay to treat her that way.

And on a daily level, first of all stop following him on social media. Even if it’s hard, it’s the most helpful thing you can do. And if you have mutual friends, stop following them until things calm down. Plus, delete his number and stop checking when he’s online on WhatsApp, while imagining how he corresponds with others.

Delete the correspondence with him so that you can not sit and rely on them. Store shared photos in a place that is inaccessible on a daily basis. And in general – try to talk about it as little as possible, and if you still feel the need, try to do it concisely that does not involve unnecessary slander.

At the same time also avoid discrediting the entire male sex. Also do not run into unnecessary dates until you are emotionally ready for it. And if you feel the need to cry – do it, but do not excite yourself with sad and unnecessary stories about how things will always look like.

And most importantly – be forgiving of yourself for the feelings that have not yet disappeared. Because even though it is unpleasant, it is completely natural to be in pain, and everyone feels that way after a breakup, even if many deny it.

Do You Want Your Ex Back Or Just Get Training On How To Move On After A Breakup? Get This Training Program Today!


10 Tips To Mend A Broken Heart

Bess Myerson once wrote that “to fall in love is awfully simple, but to fall out of love is simply awful.” Especially if you are the one who wanted the relationship to last.
Mending a broken heart is never easy.

There is no quick way to stop your heart from hurting so much. To stop loving isn’t an option. Author Henri Nouwen writes, “ When those you love deeply reject you, leave you, or die, your heart will be broken. But that should not hold you back from loving deeply. The pain that comes from deep love makes your love ever more fruitful .” But how do we get beyond the pain? Here are 10 tips I’ve gathered from experts and from conversations with friends on how they patched up their heart and tried, ever so gradually, to move on.

1. Go through it, not around it.
I realize the most difficult task for a person with a broken heart is to stand still and feel the crack. But that is exactly what she must do. Because no shortcut is without its share of obstructions. Here’s a simple fact: You have to grieve in order to move on. During the 18 months of my severe depression, my therapist repeated almost every visit: “Go through it. Not around it.” Because if I went around some of the issues that were tearing me apart inside, then I would bump into them somewhere down the line, just like being caught in the center of a traffic circle. By going through the intense pain, I eventually surfaced as a stronger person ready to tackle problems head on. Soon the pain lost its stronghold over me.

2. Detach and revel in your independence again .
Attempting to fill the void yourself — without rushing to a new relationship or trying desperately to win your lover back — is essentially what detaching is all about. The Buddha taught that attachment that leads to suffering. So the most direct path to happiness and peace is detachment. In his book, Eastern Wisdom for Western Minds, Victor M. Parachin tells a wonderful story about an old gardener who sought advice from a monk. Writes Parachin: “ Great Monk, let me ask you: How can I attain liberation ?” The Great Monk replied: “ Who tied you up? ” This old gardener answered: “Nobody tied me up.” The Great Monk said: “ Then why do you seek liberation? ” One of the most liberating thoughts I repeat to myself when I’m immersed in grief and sadness is this: I don’t need anyone or anything to make me happy. When I’m experiencing the intense pangs of grief, it is so difficult to trust that I can be whole without that person in my life. But I have learned over and over again that I can. I really can. It is my job to fill the emptiness, and I can do it… creatively, and with the help of my higher power.

3. List your strengths.
As I wrote in my “ 12 Ways to Keep Going ” post, a technique that helps me when I feel raw and defeated to try anymore is to list my strengths. I say to myself, “Self, you have been sober for 20 years!! Weaklings can’t pull off that! And here you are, alive, after those 18 months of intense suicidal thoughts. Plus you haven’t smoked a cigarette since that funeral back in December of last year!” I say all of that while listening to the “ Rocky ” soundtrack, and by the last line, I’m ready to tackle my next challenge: move on from this sadness and try to be a productive individual in this world. If you can’t list your strengths, start a self-esteem file. Click here to learn how you build one.

4. Allow some fantasizing .
Grief wouldn’t be the natural process that it should be without some yearning for the person you just lost. Dr. Christine Whelan, who writes the “ Pure Sex, Pure Column ” on BustedHalo.com, explains the logic of allowing a bit of fantasy. She writes: If you are trying to banish a sexual fantasy from your head, telling yourself “ I’m not going to fantasize about her ” or “ I won’t think about what it would be like to be intimate with him ” might make it worse… In a famous psychological study from the 1980s, a group of subjects were told to think about anything but whatever they did, they were not supposed to think about a white bear. Guess what they all thought about? [A white bear.]

5. Help someone else.
When I’m in pain, the only guaranteed antidote to my suffering is to box up all of my feelings, sort them, and then try to find a use for them. That’s why writing Beyond Blue contributes a big chunk to my recovery, why moderating Group Beyond Blue has me excited to wake up every day. When you turn your attention to another person — especially someone who is struggling with the same kind of pain — you forget about yourself for a split moment. And let’s face it, that, on some days, feels like a miracle.

Laughter heals on many levels as I explain in my “ 9 Ways Humor Heals ” post, and so does crying. You think it’s just a coincidence that you always feel better after a good cry? Nope, there are many physiological reasons that contribute to the healing power of tears. Some of them have been documented by biochemist William Frey who has spent 15 years as head of a research team studying tears. Among their findings is that emotional tears (as compared to tears of irritation, like when you cut an onion) contain toxic biochemical byproducts, so that weeping removes these toxic substances and relieves emotional stress. So go grab a box of Kleenex and cry your afternoon away.

7. Make a good and bad list.
You need to know which activities will make you feel good, and which ones will make you want to toilet paper your ex-lover’s home (or apartment). You won’t really know which activity belongs on which list until you start trying things, but I suspect that things like checking out his wall on Facebook and seeing that he has just posted a photo of his gorgeous new girlfriend is not going to make you feel good, so put that on the “ don’t attempt ” list, along with e-mails and phone calls to his buddies fishing for information about him. On the “ feels peachy ” list might be found such ventures as: deleting all of his e-mails and voicemails, pawning off the jewelry he gave you (using the cash for a much-needed massage?), laughing over coffee with a new friend who doesn’t know him from Adam (to ensure his name won’t come up).

8. Work it out.
Working out your grief quite literally — by running, swimming, exercising, walking, or kick-boxing — is going to give you immediate relief. On a physiological level — because exercise increases the activity of serotonin and/or norepinehrine and stimulates brain chemicals that foster growth of nerve cells — but also on an emotional level, because you are taking charge and becoming the master of your mind and body. Plus you can visualize the fellow who is responsible for your pain and you can kick him in the face. Now doesn’t that feel good?

9. Create a new world.
This is especially important if your world has collided with his, meaning that mutual friends who have seen him in the last week feel the need to tell you about it. Create your own safe world — full of new friends who wouldn’t recognize him in a crowd and don’t know how to spell his name — where he is not allowed to drop by for a figurative or literal surprise visit. Take this opportunity to try something new — scuba diving lessons, an art class, a book club, a blog — so to program your mind and body to expect a fresh beginning… without him (or her).

10. Find hope.
There’s a powerful quote in the movie The Tale of Despereaux that I’ve been thinking about ever since I heard it: “ There is one emotion that is stronger than fear, and that is forgiveness .” I suppose that’s why, at my father’s deathbed, the moment of reconciliation between us made me less scared to lose him. But forgiveness requires hope: believing that a better place exists, that the aching emptiness experienced in your every activity won’t be with you forever, that one day you’ll be excited to make coffee in the morning or go to a movie with friends. Hope is believing that the sadness can evaporate, that if you try like hell to move on with your life, your smile won’t always be forced. Therefore in order to forgive and to move past fear, you need to find hope.

And remember to love again…

Once our hearts are bruised and burned from a relationship that ended, we have two options: we can close off pieces of our heart so that one day no one will be able to get inside. Or we can love again. Deeply, just as intensely as we did before. Andy Mdletshe urges to love again because the heart only expands with the love we are able to pour forth.


Assista o vídeo: Ks. Piotr Pawlukiewicz: Sposób na zranione serce. Część 1 (Pode 2022).