Em formação

Jogo da memória - memória de curto ou longo prazo?

Jogo da memória - memória de curto ou longo prazo?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Existe um jogo em que "uma mala está feita" e você tem que se lembrar de todas as palavras ou objetos que estão dentro da mala.

Cada participante adiciona uma nova palavra à "cadeia de palavras", uma após a outra.

Eu me pergunto se essa informação está armazenada na "memória de longo prazo" ou se permanece apenas na "memória de curto prazo".


Resposta curta
O jogo que você descreve é ​​um exemplo clássico de um jogo baseado na memória de trabalho.

Fundo
O jogo que você descreve é ​​um exemplo de um que tributa memória de trabalho. A memória de trabalho pode ser conceituada como (Chai et al., 2018):

um componente de armazenamento de curto prazo com um limite de capacidade que depende muito da atenção e de outros processos executivos centrais que fazem uso de informações armazenadas ou que interagem com a memória de longo prazo.

Memória de curto prazo ser (Cowen, 2009):

[F] aculdades da mente humana que podem conter uma quantidade limitada de informações em um estado muito acessível temporariamente.

A diferença entre a memória de trabalho e a memória de curto prazo é confusa, e Cowen (2009) continua eliminando a ambiguidade da memória de trabalho e da memória de curto prazo:

[W] orking memory inclui memória de curto prazo e outros mecanismos de processamento que ajudam a fazer uso da memória de curto prazo.

No entanto, Cowen (2009) aponta para outra definição que é:

os aspectos relacionados à atenção da memória de curto prazo. Este, entretanto, não é tanto um debate sobre substância, mas sim uma discrepância ligeiramente confusa no uso de termos.

Curiosamente, quando você procura a página do Wiki em extensão de memória, que descreve o teste de amplitude de dígitos, um exemplo clássico de teste de memória de trabalho, você pode ver que eles também usam os termos memória de curto prazo e memória de trabalho alternadamente. Portanto, acho que as diferenças exatas entre os dois nem sempre são claras.

Agora, a memória de longo prazo é outra questão, e de acordo com os conceitos atuais sobre memória, não é necessária para o seu jogo, a não ser para associar e dar sentido aos itens adicionados (lembrar os atributos na mala em uma língua estrangeira sem o conhecimento para você certamente complicaria as coisas!). Memória de longo prazo sendo

um vasto estoque de conhecimento e um registro de eventos anteriores.

A diferença com o armazenamento de curto prazo é que ele tem um tempo de decomposição mais longo e uma capacidade maior. No entanto, as diferenças exatas permanecem uma questão de debate (Cowen, 2009).

Independentemente das diferenças exatas, conceitualmente, o jogo depende da memória de trabalho.

Referências
- Chai et al., Front Psychol (2018), 27
- Cowen, Prog Brain Res (2008); 169: 323-38.


A capacidade da memória de curto prazo é muito limitada (quanto os usuários podem manter em sua memória de curto prazo), e isso parece ser uma propriedade fundamental da memória de curto prazo (a memória de trabalho pode realmente ser melhorada?). Portanto, quanto mais o jogo progredisse, menos provável seria que os jogadores pudessem manter as informações na memória de curto prazo. Alguns itens estariam bem. Dez itens seriam difíceis e os itens começariam a sair da memória de curto prazo.

Os especialistas em memória usam técnicas como o método dos loci para associar novas informações a uma estrutura existente mantida na memória de longo prazo. Portanto, eles teriam uma vantagem significativa neste jogo.


10 jogos de memória para crianças

1. Memória / concentração

Um baralho de cartas com figuras infantis se torna facilmente o clássico jogo de memória favorito. Clique para encontrar nossa coleção de quinze jogos de correspondência de memória gratuitos para impressão.

Certifique-se de que seu conjunto de cartas contém todos os pares correspondentes.

Embaralhe e espalhe todas as cartas em uma superfície plana, com a face para baixo.

Os jogadores se revezam para escolher quaisquer duas cartas. Faça uma partida bem-sucedida e você terá outra chance. Sem correspondência, os cartões são devolvidos à sua posição original.

O sucesso na memória depende das crianças se lembrarem de onde viram cada imagem nas jogadas anteriores & # 8211, tanto aquelas como as dos outros jogadores.

O vencedor é a pessoa que acertou mais pares.

Com crianças mais novas, brinque de Memória misturando e colocando as peças voltadas para baixo em quebra-cabeças simples de 2 peças, encorajando seu filho a encontrar as duas peças que formam um quebra-cabeça.

2. Bingo de imagens

Semelhante à memória, mas em vez de pares correspondentes, os jogadores se revezam para selecionar um cartão de imagem para combinar com um rodapé.

Cada jogador seleciona uma placa base. As cartas correspondentes são embaralhadas e espalhadas sobre uma superfície plana, com a face para baixo.

Os jogadores se revezam para selecionar uma carta. Se a carta corresponder a uma imagem no tabuleiro do jogador, eles fizeram uma correspondência e podem jogar outra vez. Nenhuma correspondência, o cartão é colocado de volta para baixo.

O vencedor é a primeira pessoa a combinar todas as imagens em seu tabuleiro de base.

3. O que está faltando?

Coloque vários itens domésticos em uma bandeja (quanto mais itens, mais desafiador é o jogo, portanto, para as crianças mais novas, comece com apenas 3-4 itens e vá aumentando a partir daí).

Diga a seu filho para dar uma olhada nos itens da bandeja. Nomeie-os juntos (quanto mais você discutir os itens, maior será a probabilidade de seu filho se lembrar deles, então você pode perguntar a eles de que cor ou forma cada item é ou para que é usado).

Cubra os itens com um pano de prato. Peça a seu filho que feche os olhos e, ao fazê-lo, remova um item de debaixo do pano.

Peça-lhes para abrir os olhos, remover o pano e dizer o que está faltando!

Para crianças mais velhas, use mais itens e permita que olhem para eles por um minuto inteiro. Em seguida, cubra-os e peça-lhes que escrevam uma lista ou desenhem quantos itens puderem se lembrar.

4. Fui às compras ...

O objetivo do jogo é lembrar o máximo possível de itens comprados nas lojas!

O primeiro jogador começa o jogo dizendo: “Fui às compras e comprei ____,” identificando um item que compraria.

O segundo jogador continua, "Fui às compras e comprei um (nomeia o item do primeiro jogador) e um ___ (adicionando um novo item à lista)."

Os jogadores continuam se revezando para lembrar os itens comprados em ordem conforme a lista fica cada vez mais longa. O vencedor é a última pessoa que consegue nomear corretamente todos os itens em sequência.

Este jogo pode ser adaptado a muitos cenários diferentes, por exemplo, “Fui de férias e fiz as malas…” ou “Fui para a escola e tirei…”

Você também pode adaptar o jogo para crianças familiarizadas com as letras do alfabeto, exigindo que os jogadores, por sua vez, nomeiem um item que comece com cada letra do alfabeto. Jogador 1 = A, jogador 2 = B, jogador 3 = C, etc.

5. O jogo da Copa Mágica

Este clássico jogo de carnaval faz um divertido exercício de memória com apenas dois utensílios domésticos.

Coloque três copos de plástico idênticos em uma linha sobre a mesa, com a borda para baixo. Coloque um pom pom pom ou uma pequena bola de borracha embaixo de um copo, permitindo que seu filho veja em qual copo a bola está. Misture as xícaras deslizando-as pela mesa, mudando suas posições rapidamente para frente e para trás e ao redor. Depois de parar de mover as xícaras, peça ao seu filho para identificar em qual xícara a bola está agora.

6. Caixas de cérebro

Minhas garotas amam esses jogos de caixa de cérebro. Eles estão disponíveis em uma ampla gama de temas & # 8211 tudo, desde animais a contos de fadas e problemas matemáticos.

7. Desenhe uma palavra nas minhas costas

O sucesso neste jogo requer que a criança transfira uma sensação física para uma imagem mental e retenha uma pequena série de imagens mentais em sua cabeça para identificar corretamente a palavra.

Um jogador usa o dedo para & # 8216escrever & # 8217 uma palavra nas costas do segundo jogador. O segundo jogador tenta identificar a palavra. Os jogadores trocam de posição e se revezam sendo o & # 8216writer & # 8217 e o adivinhador.

8. String numérica

Semelhante ao The Shopping Game, o uso de números torna este jogo mais abstrato e, portanto, mais desafiador. Perfeito para crianças mais velhas!

A primeira pessoa diz um número de um dígito. O próximo jogador repete o primeiro número e adiciona outro número de um dígito. A terceira pessoa diz o primeiro e o segundo números e, em seguida, adiciona um terceiro número. O jogo continua até que alguém esqueça um número. Essa pessoa está fora. O jogo continua e o vencedor é a última pessoa em pé & # 8211 a pessoa capaz de identificar corretamente a sequência de números mais longa.

9. Total Recall

Exiba uma série de imagens ou palavras por alguns segundos. Cubra as imagens / palavras e peça às crianças que escrevam, desenhem ou digam a um parceiro os objetos na ordem correta.

Torne o jogo mais difícil aumentando o número de itens na série.

10. Rechamada de cartão

Jogadas em pares, cinco cartas são colocadas em série na mesa (podem ser cartas de baralho ou outras cartas com figuras ou palavras). Um jogador tem tempo para memorizar a sequência. Em seguida, seu parceiro pega as cartas, embaralha-as e coloca apenas quatro das cartas de volta na mesa. O primeiro jogador deve identificar qual carta está faltando.

Como baixar e imprimir seus jogos de memória para crianças

Clique aqui para fazer o download: Jogos da Memória para Crianças Conjunto 1. Você será solicitado a salvar o PDF em seu computador. Abra o PDF e imprima as páginas necessárias. Ao imprimir, selecione “Ajustar à área imprimível” (ou semelhante) para garantir que a página se ajuste ao tipo de impressora e ao tamanho de papel local.
Está tendo problemas para acessar ou baixar o arquivo? Tente um navegador de Internet diferente.
Observação: todos os itens para impressão do Childhood 101 são apenas para uso pessoal; você não pode usar nenhuma parte deste conteúdo para fins comerciais, o que inclui vender o documento, distribuí-lo para promover seu negócio ou site ou imprimir o arquivo para venda. Você não pode compartilhar, emprestar ou redistribuir esses documentos. Os professores podem usar várias cópias para os alunos em sua própria sala de aula.

Alguns jogos de memória rápida e ferramentas de amplificação

Esses jogos de memória rápida são desafios divertidos enquanto você espera no consultório médico, em um restaurante ou durante uma viagem.

  • Recite o alfabeto ao contrário
  • Conte regressivamente a partir de um grande número por 7s (ou outro múltiplo)
  • Esfregue sua cabeça e dê tapinhas em sua barriga. Agora mude & # 8211 acaricie sua cabeça e esfregue sua barriga
  • Feitiço supercalifragilisticexpialidocious

A seguir:

Poder da palavra! 11 Ativação do cérebro Jogos de palavras para crianças

Christie Burnett é professora, apresentadora, escritora e mãe de dois filhos. Ela criou o Childhood 101 como um lugar para professores e pais acessarem ideias de aprendizado envolventes e de alta qualidade.


Memória na Sala de Aula

Questões de discussão: Para uso em fóruns de discussão online ou discussões em sala de aula. Consulte também In the News: Memory para questões adicionais para discussão.

  • Onde estão localizadas as memórias?
  • Por que nos esquecemos?
  • Como lesões e doenças afetam a memória?
  • Agora, suponha que você seja um advogado defendendo um cliente que está sendo processado com base no depoimento de uma testemunha ocular. Explique como você demonstraria aos membros do júri as falhas no depoimento de uma testemunha ocular.
  • Se você pudesse acenar com uma varinha mágica que eliminasse sua capacidade de esquecer, você o faria? Por que ou por que não?

Manifestações

Limitações das demonstrações de relatos de testemunhas oculares

Listas de memória DRM (cortesia de Sue Frantz, 19/07/2012)

Na demonstração clássica de DRM (Deese, Roediger, McDermott), apresente aos alunos uma lista de 15 palavras intimamente relacionadas a uma palavra-alvo. Peça aos alunos que relembrem a lista. A maioria dos alunos se lembrará da palavra-alvo como estando na lista. Este artigo contém listas de palavras.

Amigos de Peter (coutesy de Bill Altman, via PsychTeacher, 14/02/2010)

Eu uso um clipe de 6 a 7 minutos do filme Peter's Friends, que meus alunos nunca viram. Eu o mostro no início da aula e, em seguida, faço um teste sobre o filme depois de cerca de 15 ou 20 minutos. Em seguida, analisamos o questionário após mais 15 ou 20 minutos. Dois dos itens do questionário (que é em sua maioria de múltipla escolha) são projetados para provocar falsas memórias. Isso me permite discutir a falta de memória de testemunhas oculares e a possibilidade de falsas memórias surgindo. Dar alguns períodos de aula pode ser ainda melhor, mas estou fazendo isso dentro da unidade de memória em psicologia introdutória, então meu tempo no o tópico é limitado.

Teste de testemunha ocular de bombardeiro no telhado baseado na web (cortesia de Joe Melcher, via PsychTeacher, 14/02/2010)

Aqui está uma excelente demonstração, cortesia de Gary Wells (um importante pesquisador de desempenho de testemunhas oculares). Tem o evento (um pequeno vídeo) e um line-up (também um vídeo).

O que é realmente legal sobre isso é que é uma formação suspeita ausente. Caberá a você decidir se deve ou não fazer "não presente" uma opção. Do contrário, talvez apenas 5% dos alunos o façam espontaneamente. Todos presumirão que ele está na escalação e usarão a estratégia de julgamento relativo (escolha a pessoa que mais se assemelha a quem eles se lembram). Eu acho que mesmo quando eu forneço a opção "não presente", poucos alunos a aceitam.

Entrevista padrão vs. cognitiva (cortesia de Keiron Walsh via PsychTeacher, 15/02/2010)

Existem algumas atividades que considero muito úteis e que meus alunos realmente gostam. Uma é usar um videoclipe de um programa de TV como Columbo (fácil de encontrar uma boa cena). Eu divido a classe em 4 grupos - dois grupos de testemunhas e dois grupos de entrevistadores. Enquanto um grupo assiste ao clipe (peço a um aluno responsável para iniciar e interromper), dou instruções por escrito sobre como realizar uma entrevista padrão ou cognitiva para os dois grupos de entrevista que foram levados para uma sala separada.

Os resultados das entrevistas são sempre fortemente a favor da entrevista cognitiva. Eles também mostram como a memória das testemunhas oculares é fraca, já que ambos os grupos cometem vários erros. A maioria dos erros envolve reconstruções. Os alunos costumam ficar bastante chocados com os erros gritantes que cometem quando lhes mostro o clipe novamente.

O caso da pasta desaparecida (cortesia de Chuck Behensky via PsychTeacher, 15/02/2010)

Sempre prefiro fazer algo "ao vivo", se possível. Eu também tento fazer isso antes que eles leiam sobre isso no livro. Dessa forma, eles são menos suspeitos. Trago uma pasta ou bolsa de computador para a aula, coloco na frente da sala (geralmente em uma mesa ou ao lado do púlpito) e saio. Pouco antes do início da aula, peço a um aluno confederado que vá para a classe, aja como se estivesse procurando algo, suba e pegue a bolsa e depois saia. Entrarei alguns minutos atrasado com um monte de planilhas "frescas" da copiadora.

Cerca de 10 a 15 minutos depois do início da aula, distribuirei essas planilhas e direi algo como: "Enquanto vocês trabalham nisso, tenho algumas outras apostilas para hoje." Procuro minha pasta, paro todos e digo: "Alguém viu minha pasta?" Dependendo da resposta que obtenho, geralmente adiciono algo como: "OK, quem pegou meu caso, apenas apresente-o, sem ressentimentos." Gradualmente, vou escalar a partir daí. "Ha ha, a piada é minha, é só tocar. Não estou brincando, meu telefone, chaves e carteira estão nesse caso! Meu talão de cheques, meus cartões de crédito, tenho um pen drive com todas as suas notas e todo o meu trabalho do semestre lá! " Isso exigirá um pouco de ação de sua parte para que eles aceitem.

Depois de estabelecer que se trata de uma "emergência", perguntarei quem viu a pessoa.

Então direi: "OK, vou ligar para a segurança do campus, mas vamos pelo menos obter uma descrição da pessoa para que eu tenha algo a dizer a ela." Às vezes eu os divido em grupos para fazer uma descrição, às vezes fazemos isso como uma classe inteira. Vou dizer a eles para registrar tudo o que lembrarem sobre a pessoa e atualizar essa lista à medida que construímos a descrição (observe que isso não os indica).

Ao longo do caminho, vou inserir algumas perguntas importantes: "Espere, ele tinha um boné de beisebol? Era vermelho? Pensei ter visto um cara com um boné de beisebol vermelho por perto quando fui copiar suas planilhas."

No final, teremos uma lista como a seguinte:

- Macho entre 5'7 "e 6 '(magro ou compleição média)

- Boné de beisebol (vermelho ou azul escuro)

- Usar jeans ou calça preta (não faço ideia que tipo de calçado)

- Usar um casaco de lã ou jaqueta de veludo cotelê (cor escura: marrom, azul ou preto, possivelmente cinza escuro)

- Pode ou não ter óculos (definitivamente não é óculos de sol)

- barbeado ou com restolho leve

Nesse ponto, vou divulgar que tudo isso é falso (muitos deles ficarão aliviados).

Discutiremos o tipo de descrição que eles criaram e faremos uma votação majoritária para determinar a descrição final. Em seguida, mostrarei a eles uma lista de fotos e, normalmente, apenas 40-50% escolherão a pessoa correta. Terminaremos com uma discussão sobre os fatores que influenciaram sua descrição e seleção de escalação (tempo entre o evento e a construção da descrição, alguns alunos não estavam realmente participando do evento original, os tipos de perguntas que fiz, tentando corresponder ao imagem com a descrição em vez da memória da pessoa, etc.). É demorado e você realmente precisa "vendê-lo" ou então eles não vão levar a sério, mas geralmente acaba sendo uma de suas atividades favoritas do semestre e dá a você a chance de realmente levar para casa alguns dos problemas testemunhas oculares ao redor.

Detalhes (cortesia de Ron Shapiro, 18/02/2010)

No meu Jogos para explicar fatores humanos: venha, participe, aprenda e divirta-se. programa eu tenho um Detalhes atividade na qual eu: 1) mostro a um participante um Feliz aniversario bandana por alguns segundos. (O desenho da bandana contém todos os tipos de coisas de festa (bolos, as palavras feliz aniversário, presentes, chapéus, serpentinas, velas), mas não tem balões) 2) venda o participante com a bandana 3) converse com eles sobre seus antecedentes ou outro tópico não relacionado por um ou dois minutos 4) peça que descrevam a bandana.

Poucos participantes, se houver, descrevem a bandana completa e corretamente (detalhando, por exemplo, quantas velas havia no bolo). Mais frequentemente, os participantes cometem erros óbvios, como não acertar todas as cores. Com bastante frequência, os participantes incluem balões em suas descrições. Se o participante não menciona os balões e eu vou para o estágio dois e faço perguntas como de que cores são os chapéus, os feliz aniversários e os balões, eles costumam me dizer a cor dos balões. O mesmo resultado é obtido com o ensino fundamental, médio, médio, superior, pós-graduação e profissionais que participam do programa. Em seguida, discutimos o depoimento de uma testemunha ocular.

Se você gostaria de ver uma foto da bandana modelada por Esther Cameron, uma Junior em Engenharia Aeroespacial no Florida Institute of Technology, enquanto ela conclui algumas das atividades dos Jogos, você pode visualizar o álbum de fotos dos selecionados Jogos atividades no SlideShare.


Como melhorar a memória de longo prazo

Sabemos formar memórias duradouras, mas como cuidamos delas? E se eles desaparecerem?

As memórias estão em constante fluxo, decaindo assim que começam a se formar. Embora você não possa contar as memórias, se pudesse, logo descobriria que mais da metade do que vivenciamos é inacessível à memória em uma única hora. Por esse motivo, ao aprender, é melhor revisar as informações de forma contínua e cíclica conforme você avança.


Jogos de memória grátis

Jogo da Memória de Curto Prazo - O objetivo desta memória é relembrar as figuras que acabamos de mostrar. Os símbolos piscarão na tela três vezes. Você precisa utilizar sua memória de curto prazo e lembrar quais gráficos apareceram na tela. Você também terá que responder a perguntas adicionais, portanto, tente reter o máximo de informações possível. A chave para este jogo de memória é olhar para a tela inteira quando os gráficos são mostrados. Esta é a primeira versão do jogo. Uma versão interativa está em obras.

Jogos de memória para adultos - Existem três níveis para esta série de jogos de memória.O objetivo do jogo é combinar os números que estão localizados atrás dos cartões de memória. O jogo está sendo cronometrado. Melhore a memória tentando bater o seu melhor tempo.


Combinação perfeita - O objetivo deste jogo de memória online gratuito é remover todas as cartas desdobrando um par de cartas idênticas. Clique em qualquer cartão para desdobrá-lo e, em seguida, desdobre outro cartão. Se ambos forem iguais, eles serão removidos. Apenas duas cartas podem ser desdobradas de cada vez.


Desenvolvimento da memória em adolescentes

A memória humana é uma das funções mais complexas. O cérebro permite armazenar certas informações e recuperar mais tarde. Existem principalmente dois tipos de sistemas de memória. É um sistema que permite manter um registro de todas as experiências e é denominado memória autobiográfica. O segundo tipo de memória é a memória semântica, onde o sistema detém conhecimento sobre o mundo. A memória de trabalho é quando o cérebro é onde ele tenta armazenar certas coisas a fim de fazer cálculos imediatos, como a memória de acesso aleatório em um computador.

Quando certas informações armazenadas nele não estão em uso, são descarregadas pela memória de trabalho. Ajuda o cérebro a criar uma resposta planejada usando o pensamento abstrato. O cérebro funciona de forma inteligente. Os adolescentes tendem a tomar certas decisões irracionais quando estão sob estresse. Verificou-se que as crianças só agem como adultos em condições normais. No entanto, sob estresse, eles se encontrariam em apuros.

A adolescência é a idade mais importante, pois neste período se desenvolve a memória formando uma determinada estrutura. Os adolescentes precisam praticar para se lembrarem melhor. Estratégias de memória ajudariam no processamento da informação e ajudariam a aprimorá-la. A organização é importante porque ajuda a organizar todas as informações de maneira adequada. Isso ajudaria o cérebro a lembrar as informações necessárias sempre que necessário facilmente. A compreensão é importante. Se entendermos bem, será fácil para o cérebro se lembrar. Assim, para tornar a memória de um adolescente mais eficiente, é necessário garantir as quatro coisas principais acima. Isso certamente ajudaria no desenvolvimento da memória no adolescente.

Os adolescentes, que bebem muito, têm chances de danos permanentes à memória. O álcool provou que a perda contínua de memória em crianças pode ser transportada para a idade adulta. Assim, os médicos pedem aos adolescentes que evitem beber muito. Beber pesado pode levar um cérebro jovem a um estágio crítico quando está em processo de desenvolvimento. Os anos da adolescência são os anos mais importantes da vida de uma pessoa. Isso porque, durante esse período, o desenvolvimento estrutural e funcional do cérebro ocorre de forma radical.

Também foi descoberto que adolescentes que bebem muito são incapazes de se lembrar de suas memórias passadas. Se certas substâncias são usadas durante este período de crescimento, não só é danificado, mas também o desenvolvimento do cérebro encontra obstáculos. Um é adicionar problemas para o futuro relacionados às memórias. Portanto, os adolescentes devem evitar o consumo excessivo de álcool.

O reforço de memória ajudaria a desenvolver boa memória em adolescentes. Também ajudaria a organizar a informação de uma maneira melhor e praticar habilidades que são essenciais para uma aprendizagem eficaz. Isso ajudaria os adolescentes a lembrar facilmente as informações armazenadas em seus cérebros. A eficiência disso difere de uma pessoa para outra. Alguns podem ter boa memória de curto prazo, enquanto outros podem ter boa memória de longo prazo. Se o adolescente melhorar sua memória, isso pode ser muito benéfico.


Recomendamos o MentalUP que é desenvolvido por acadêmicos e pedagogos e está repleto de quebra-cabeças educacionais.

Os Jogos Educacionais MentalUP permitirão que seu filho use a tecnologia de maneira benéfica.

MentalUP é um recurso de jogos inovadores online para professores e pais.

O MentalUP faz bem o treinamento do cérebro. Seus jogos são fáceis de entender, ao mesmo tempo em que desafiam as habilidades que foram projetados para ampliar.

MentalUP é um aplicativo científico-educacional premiado com base no Reino Unido que contém jogos de aprendizagem cognitiva para alunos do ensino fundamental e médio.

MentalUP desenvolvido por designers de jogos e acadêmicos que incorporam métodos de ensino inovadores para oferecer dezenas de jogos mentais.


11 jogos inesquecíveis para melhorar sua memória

Como um dispositivo de armazenamento orgânico, o cérebro se compara favoravelmente aos drives digitais. Acredita-se que seja capaz de reter até 2,5 petabytes de informação, o que equivale a quase três milhões de horas de televisão. Ser capaz de recuperar todo esse conhecimento, no entanto, é uma questão diferente. Para ajudar no processo, compilamos uma lista de jogos que podem ajudar a aguçar sua memória de longo e curto prazo.

1. Faça palavras cruzadas - mas não com muita frequência

As palavras cruzadas continuam sendo o exercício cognitivo indispensável, com estudos mostrando uma forte correlação entre o hábito e o início tardio da demência. Mas o problema com as palavras cruzadas como uma memória e impulsionador do cérebro em geral é que você pode ficar muito bom nelas: se você conseguir largar sua caneta em tempo recorde, provavelmente não está se dando o desafio suficiente. Tente alternar palavras cruzadas com outros jogos de busca de palavras para manter seu cérebro ocupado.

2. Faça um jogo de compras

Tente memorizar pequenas listas de compras usando "palavras fixas". Digamos que você precise de leite, ovos e suco de laranja. Suas palavras de fixação podem rimar com números, então um é o "sol" e dois é um "sapato". Se os ovos são o segundo item de sua lista, imagine seu sapato pisando neles com o sol atrás de você. Você não apenas se lembrará do item, mas também onde ele está na lista. Se você dividir suas compras com um amigo ou familiar, poderá ver quem lembrou mais itens e em que ordem.

3. Quebra-cabeças

Os quebra-cabeças são uma ferramenta fantástica para engajar a memória de curto prazo, já que seu cérebro precisa classificar uma série de cores e formas para montar uma imagem visual. Quanto mais pedaços, mais duro seu cérebro terá de trabalhar e maior será a recompensa: “clicar” em um pedaço no lugar produz dopamina, o que pode ajudar na concentração. Mas se as paisagens e os animais exóticos o deixaram entediado, tente um quebra-cabeça menor e vire as peças de modo que você olhe apenas para o lado em branco. Com a cor removida, você terá que confiar apenas nas formas.

4. Encontre videogames que o obriguem a realizar multitarefas

Embora atirar em alienígenas possa ser divertido, não vai necessariamente aumentar sua função cognitiva. Jogos que exigem que você reaja a um estímulo - como uma placa de sinalização ou um novo ambiente - enquanto joga podem melhorar a memória de trabalho ou a capacidade de lembrar informações enquanto você está resolvendo um problema. Um estudo recente também mostrou que essa atividade modulava marcadores neurais conhecidos que permitem lidar melhor com "interferências" ou distrações enquanto recupera informações.

5. O Jogo da Mala

Se você estiver em um grupo, poderá convocar alguns jogadores para um jogo de memória de mesa redonda. A primeira pessoa declara que está fazendo uma mala com um item, a próxima pessoa repete a declaração e adiciona um item. Um jogador está “fora” quando perde um item inserido anteriormente.

6. Concentração

Você provavelmente já jogou uma variação do jogo de concentração desde a infância: coloque qualquer número de cartas viradas para baixo, vire duas de cada vez e tente combinar os conjuntos. Mas uma maneira de tornar o exercício mais envolvente é optar pela variação “espaguete” - em vez de fileiras de cartas organizadas, tente um arranjo mais bagunçado. Isso tornará a localização dos cartões mais difícil de lembrar.

7. O jogo da bandeja

Peça a um amigo para pegar uma bandeja de servir e um monte de itens aleatórios. Dê uma olhada rápida na bandeja e, em seguida, cubra-a com um pano. Tente se lembrar de todos os itens. Você também pode ver uma imagem online, minimizar o navegador e tentar se lembrar do conteúdo.

8. Sudoku

Esse jogo de números tem sido um assunto constante nos jornais há anos, e por boas razões. Por ter que manter uma série de números em sua cabeça enquanto mentalmente "ensaia" sua colocação nas grades de nove espaços, você está confiando muito na memória de trabalho. Mas tenha em mente que acredita-se que o Sudoku seja mais eficaz no início, antes que seu cérebro se acostume a organizar os números. Se ficar mais fácil, é hora de tentar algo novo.

9. Xadrez

O xadrez é um dos jogos mais desafiadores intelectualmente, embora os jogadores mais novos geralmente confiem na memória de curto prazo para analisar o tabuleiro e traçar seu próximo movimento no local. Jogadores mais experientes comprometeram estratégias com sua memória de longo prazo, mudando o exercício para reter informações a longo prazo.

10. Brain Yoga

Pegue sua mão esquerda, feche o punho e estenda o polegar, faça o mesmo com a direita, estenda apenas o dedo mínimo. Agora troque-os para que fiquem o dedinho esquerdo e o polegar direito. Não tão fácil? A coordenação envolvida fortalecerá as conexões neurais, o que ajudará tanto a memória quanto outras funções da massa cinzenta.

11. Experimente um quebra-cabeça Rebus

Um quebra-cabeça rebus geralmente consiste em letras, números, imagens e símbolos que contêm pistas para a resposta. A frase do quebra-cabeça "BAD BAD", por exemplo, é uma maneira criptografada de dizer "muito ruim". Você precisará de algum conhecimento de clichês e expressões para resolver esses quebra-cabeças, e não será capaz de confiar em pistas implícitas ou contextuais como faria com uma frase convencional ou um jogo de palavras.


O que é memória?

A memória é uma das funções básicas que o cérebro humano usa de forma evolutiva para sobreviver. Este corpo docente especial permite que os seres humanos armazenem informações relevantes de qualquer tipo bem como recuperá-lo a qualquer momento, entre outros processos essenciais.

A memória foi, desde o surgimento do ser humano, uma faculdade essencial para a sobrevivência da espécie, como o é para quase todas as espécies animais do mundo.

Facilita a aprendizagem, a transmissão de conhecimentos entre gerações, conhecimentos gerais sobre o meio ambiente e também sobre os perigos e ameaças que acarreta.

A memória é uma das faculdades cognitivas mais versáteis e aquele que possui a maior plasticidade de todas as capacidades humanas. Com o tempo, as pessoas conseguiram encontrar mecanismos e estratégias para melhorar a memória, bem como tirar o melhor proveito dela.


Problemas de memória do dia a dia [editar | editar fonte]

A experiência cotidiana de problemas de memória é o problema da memória falha, do esquecimento. O fenômeno da ponta da língua é particularmente frustrante porque a pessoa que tenta se lembrar sente que a memória está disponível. Em termos físicos, seus neurônios estão disparando, mas seus receptores não estão captando. Deixar de lembrar de algo na situação em que teria sido útil leva ao arrependimento.

Lesão cerebral traumática [editar | editar fonte]

A maioria das descobertas sobre a memória resultou de estudos que lesionaram regiões cerebrais específicas em ratos ou primatas, mas alguns dos trabalhos mais importantes resultaram de traumas cerebrais acidentais ou inadvertidos. O caso mais famoso em estudos recentes de memória é o estudo de caso de HM, que teve partes de seu hipocampo, córtex parahipocampal e tecido circundante removidos em uma tentativa de curar sua epilepsia. Sua amnésia anterógrada total subseqüente e amnésia retrógrada parcial forneceram a primeira evidência para a localização da função de memória e esclareceu ainda mais as diferenças entre a memória declarativa e a processual.

Doenças neurodegenerativas [editar | editar fonte]

Muitas doenças neurodegenerativas podem causar perda de memória. Alguns dos mais prevalentes (e, conseqüentemente, mais intensamente pesquisados) incluem a doença de Alzheimer, demência, doença de Huntington, esclerose múltipla e doença de Parkinson. Nenhum age especificamente sobre a memória, em vez da perda de memória muitas vezes ser uma vítima da deterioração neuronal generalizada. Atualmente, essas doenças são irreversíveis, mas as pesquisas com células-tronco, psicofarmacologia e engenharia genética prometem muito.


Jogos de memória grátis

Jogo da Memória de Curto Prazo - The object of this memory is to recall the figures that were just shown. Symbols will flash on the screen three times. You need to utilize your short term memory and remember what graphics appeared on the screen. You will also have to answer additional questions so try to retain as much information as you can. The key to this memory game is to look at the entire screen when the graphics are shown. This is the first version of the game. An interactive version is in the works.

Memory Games for Adults - There are three levels to this series of memory games.The object of the game is to match up the numbers that are located behind the memory cards. The game is being timed. Improve memory by attempting to beat your best time.


Perfect Match - The object of this free online memory game is to remove all the cards by unfolding a pair of identical cards. Click any card to unfold it and then unfold another card. If both are the same, they will be removed. Only two cards can be unfolded at a time.


10 Kids Memory Games

1. Memory/Concentration

A deck of children’s matching picture cards easily becomes the classic favourite game of Memory. Click through to find our collection of fifteen free, printable memory matching games.

Ensure your set of cards contains all matching pairs.

Shuffle and spread all cards out on a flat surface, face down.

Players take it in turns to choose any two cards. Make a successful match and you get to take another turn. No match, the cards are returned to their original position.

Success in Memory relies upon children remembering where they have seen each picture in previous turns – both those and those of the other players.

The winner is the person who has matched the most pairs.

With younger children, play Memory by mixing up and placing face down the pieces to simple matching 2-piece puzzles, encouraging your child to find the two pieces that make up one puzzle.

2. Picture Bingo

Similar to Memory but instead of matching pairs, players take turns to select a picture card to match to a baseboard.

Each player selects a base board. The matching cards are shuffled and spread out on a flat surface, face down.

Players take it in turns to select a card. If the card matches an image on the players board they have made a match and get to take another turn. No match, the card is placed back down.

The winner is the first person to match all of the images on their base board.

3. What’s Missing?

Place a number of household items onto a tray (the more items, the more challenging the game so for younger children start with just 3-4 items and increase from there).

Tell your child to have a close look at the items on the tray. Name them together (the more you discuss the items the more likely your child is to remember them so you could ask them what colour or shape each item is or what it is used for).

Cover the items with a tea towel. Ask your child to close their eyes and as they do so remove one item from under the cloth.

Ask them to open their eyes, remove the cloth and tell you what’s missing!

For older children, use more items and allow them to look at them for a full minute. Then cover them up and ask them to write a list or draw as many of the items that they can remember.

4. I Went Shopping…

The aim of the game is to remember as many items purchased at the shops as possible!

The first player starts the game by saying, “I went shopping and bought a ____,” identifying an item they would buy.

The second player continues, “I went shopping and bought a (names the first player’s item) and a ___ (adding a new item to the list).”

Players continue taking turns to remember the items purchased in order as the list gets longer and longer. The winner is the last person who can correctly name all of the items in sequence.

This game can be adapted to many different scenarios, for example, “I went on holidays and packed…” or “I went to school and took …”

You can also adapt the game for children familiar with letters of the alphabet by requiring players in turn to name an item that begins with each letter of the alphabet. Player 1=A, player 2=B, player 3=C, etc.

5. The Magic Cup Game

This classic carnival game makes a fun memory exercise with just two household items.

Place three identical, plastic cups in a line on the table, rim down. Place a pom pom or small rubber ball under one cup, allowing your child to see which cup the pom pom/ball is under. Shuffle the cups around by sliding them across the table, switching their positions quickly back and forth and all around. Once you have stopped moving the cups ask your child to identify which cup the ball is now under.

6. Brain Boxes

My girls love these brain box games. They are available in a wide range of themes – everything from animals to fairytales to math problems.

7. Draw a Word on My Back

Success in this game requires the child to transfer a physical sensation to a mental picture and retain a short series of mental pictures in their head to correctly identify the word.

One player uses their finger to ‘write’ a word on the back of the second player. The second player tries to identify the word. Players switch positions and take turns being the ‘writer’ and guesser.

8. Number String

Similar to The Shopping Game, using numbers makes this game more abstract and therefore more challenging. Perfect for older kids!

The first person says a one digit number. The next player repeats the first number and adds another one digit number. The third person says the first and the second numbers and then adds a third number. The game continues until someone forgets a number. That person is out. Play continues and the winner is the last person standing – the person able to correctly identify the longest string of numbers.

9. Total Recall

Display a series of pictures or words for a few seconds. Cover the images/words and have children write, draw or tell a partner the objects in correct order.

Make the game more difficult by increasing the number of items in the series.

10. Card Recall

Played in pairs, five cards are placed in a series on the table (these can be playing cards or other picture or word cards). One player is given time to memorise the sequence. Then their partner takes the cards, shuffles them and places only four of the cards back on the table. The first player must identify which card is missing.

How to Download & Print Your Kids Memory Games

Click here to download: Memory Games for Kids Set 1. You will be prompted to save the PDF to your computer. Open the PDF and print the pages you require. When printing, select “Fit to printable area” (or similar) to ensure the page fits with your printer type and local paper size.
Having trouble accessing or downloading the file? Please try a different internet browser.
Please note: All Childhood 101 printables are for personal use only, you may not use any part of this content for commercial purposes-that includes selling the document, giving it away to promote your business or website, or printing the file to sell. You may not share, loan or redistribute these documents. Teachers may use multiple copies for students in their own classroom.

A Few Quick Memory Games & Tools

These quick memory games make fun challenges while you’re waiting at the doctors office, a restaurant or while travelling.

  • Recite the alphabet backwards
  • Count backwards from a large number by 7s (or another multiple)
  • Rub your head and pat your tummy. Now switch – pat your head and rub your tummy
  • Spell supercalifragilisticexpialidocious

Up next:

Word Power! 11 Brain Activating Word Games for Kids

Christie Burnett is a teacher, presenter, writer and the mother of two. She created Childhood 101 as a place for teachers and parents to access engaging, high quality learning ideas.


How to improve long-term memory

We know how to form long-lasting memories, but how do we look after them? And what if they go missing?

M emories are constantly in flux, decaying as soon as they have begun to form. Although you can't count memories, if you could, you'd soon discover that more than half of what we experience is inaccessible to memory within a single hour. For this reason, when learning, it is best to continuously and cyclically review information as you go.


What is memory?

Memory is one of the basic functions that the human brain uses in an evolutionary way to survive. This special faculty allows human beings to store relevant information of any kind as well as to retrieve it at any time, among other essential processes.

Memory has been, since the appearance of the human being, an essential faculty for the survival of the species, as it is for almost all animal species in the world.

It eases learning, the transmission of knowledge between generations, general knowledge about the environment, and also about the dangers and threats it entails.

Memory is one of the most versatile cognitive faculties and one that has the greatest plasticity of all human capacities. Over time, people have managed to find mechanisms and strategies to improve memory, as well as to get the best out of it.


Memory in the Classroom

Discussion questions: For use in online discussion forums or in-class discussions. Also see In the News: Memory for additional discussion questions.

  • Where are memories located?
  • Why do we forget?
  • How does injury and disease affect memory?
  • Now suppose that you are an attorney defending a client who is being prosecuted based on eyewitness testimony. Explain how you would demonstrate to members of the jury the flaws in eyewitness testimony.
  • If you could wave a magic wand that would eliminate your ability to forget, would you do it? Por que ou por que não?

Demonstrations

Limitations of eyewitness accounts demonstrations

DRM Memory Lists (courtesy of Sue Frantz, 7/19/2012)

In the classic DRM (Deese, Roediger, McDermott) demonstration, present students with a list of 15 words closely related to a target word. Ask students to recall the list. Most students will recall the target word as having been in the list. This article has word lists.

Peter's Friends (coutesy of Bill Altman, via PsychTeacher, 2/14/2010)

I use a 6-7 minute clip from the film Peter's Friends, which my students have never seen. I show it at the start of class, and then give them a quiz on the film after about 15 or 20 minutes. We then debrief on the quiz after another 15 or 20 minutes. Two of the items on the quiz (which is mostly multiple-choice) are designed to provoke false memories. This allows me to discuss both the lack of eyewitness memory, and the possibility of false memories creeping in. Giving a few class periods might be even better, but I'm doing it within the memory unit in introductory psychology, so my time on the topic is limited.

Web-based bomber-on-roof eyewitness test (courtesy of Joe Melcher, via PsychTeacher, 2/14/2010)

Here's an excellent demonstration, courtesy of Gary Wells (a leading eyewitness performance researcher). It's got the event (a short video) and a line-up (also video).

The really cool thing about this is that it is a suspect-absent lineup. It'll be up to you whether or not to make "not present" an option. If you don't, maybe only 5% of the students will spontaneously do it. They'll all assume he's in the lineup and will use the relative judgment strategy (pick the person most closely resembling whom they remember). I find that even when I provide the "not present" option, few students take it.

Standard vs. cognitive interview (courtesy of Keiron Walsh via PsychTeacher, 2/15/2010 )

There are a couple of activities that I find really useful and my students really enjoy. One is to use a video clip from a TV programme like Columbo (easy to find a good scene). I divide the class into 4 groups - two witness groups and two interviewer groups. While one group watches the clip (I get a responsible student to start and stop it) I give written instructions on how to carry out a standard interview or a cognitive interview to the two interview groups who have been taken to a separate room.

The results of the interviews are always strongly in favour of the cognitive interview. They also show how poor eyewitness memory is, as both groups make numerous mistakes. Most mistakes involve reconstructions. The students are often quite shocked at the glaring errors they make when I show them the clip again.

The case of the missing briefcase (courtesy of Chuck Behensky via PsychTeacher, 2/15/2010)

I always prefer doing something "live" if possible. I also try to do this before they've read about it in the book. That way, they're less suspicious. I bring a briefcase or computer bag into class, place it at the front of the room (usually on a table or next to the lectern), then leave. Right before class starts, I have a student confederate go into the class, act like they're looking for something, go up and take the bag, then walk out. I'll walk in a couple of minutes late with a bunch of worksheets "fresh" from the copier.

About 10-15 min into the lecture, I'll hand out these worksheets and say something like, "While you guys work on this, I've got a couple of other handouts for today." I'll look for my briefcase, then stop everyone and say, "Has anyone seen my briefcase?" Depending on the response I get, I'll usually add something like, "OK, whoever took my case, just bring it forward, no hard feelings." Gradually, I'll escalate it from there. "Ha ha, joke's on me, just bring it up. I'm not kidding, my phone, keys, and wallet are in that case! My checkbook, my credit cards, I've got a flash drive with all of your grades and all of my work for the semester in there!" This will require a bit of acting on your part to get them to buy into it.

Once I've established that this is an "emergency" I'll ask who saw the person.

Then I'll say, "OK, I'm going to call campus security, but let's at least get a description of the person so I have something to tell them." Sometimes I break them into groups to come up with a description, sometimes we do it as a whole class. I'll tell them to record anything they remember about the person and to update that list as we build the description (note, this doesn't clue them in).

Along the way I'll inject some leading questions, "Wait, he had a baseball cap? Was it red? I thought I saw a guy with a red baseball cap hanging around when I went to copy your worksheets."

In the end, we'll have a list like the following:

- Male between 5'7" and 6' (thin or average build)

- Baseball cap (either red or dark blue)

- Wearing jeans or black pants (no idea what kind of shoes)

- Wearing either wool pea coat or corduroy jacket (dark color: brown, blue, or black, possibly dark grey)

- May or may not have glasses (definitely not sunglasses)

- Clean-shaven or slight stubble

At this point, I'll disclose that this is all fake (a lot of them will be relieved).

We'll discuss the kind of description they came up with and take a majority vote to determine the final description. Then I'll show them a photo lineup and usually only 40-50% will choose the correct person. We'll end with some discussion on the factors that influenced their description and lineup selection (time between the event and building the description, some students weren't really attending to the original event, the kinds of questions I asked, trying to match the picture with the description instead of their memory of the person, etc.). It's time consuming and you really need to "sell" it or else they won't take it seriously, but it usually ends up being one of their favorite activities of the semester and it gives you a chance to really drive home some of the issues surrounding eyewitnesses.

Details (courtesy of Ron Shapiro, 2/18/2010)

In my Games To Explain Human Factors: Come, Participate, Learn & Have Fun. program I have a Details activity in which I: 1) show a participant a Happy Birthday Bandana for a few seconds. (The bandana design contains all sorts of party stuff (cakes, the words happy birthday, presents, hats, streamers, candles) but does not have any balloons) 2) blindfold the participant with the bandana 3) talk with them about their background or another unrelated topic for a minute or two 4) ask them to describe the bandana.

Few, if any, participants describe the bandana completely and correctly (detailing for example how many candles were on the cake). More often, participants make obvious errors such as not getting all of the colors right. Fairly frequently participants include balloons in their description. If the participant does not mention balloons and I go to stage two and ask questions such as what colors are the hats, the happy birthdays and balloons, they will most frequently tell me the color of the balloons. The same result is obtained from middle school, high school, college, graduate school and professionals who participate in the program. We then discuss eye witness testimony.

If you would like to see a photo of the bandana modeled by Esther Cameron, a Junior in Aerospace Engineering at Florida Institute of Technology, as she completes some of the Games activities, you may view the photo album of selected Jogos activities on SlideShare.


We recommend the MentalUP which is developed by academicians and pedagogues and is filled with educational brain teasers.

MentalUP Educational Games will enable your child to use technology in a beneficial way.

MentalUP is an online innovative games resources for teachers and parents.

MentalUP does brain training well. Its games are easy to understand while challenging the skills which they are designed to stretch.

MentalUP is a UK-based award-winning scientific-educational application containing cognitive learning games for K-8 learners.

MentalUP developed by game designers and academics incorporating innovative teaching methods to offer dozens of mind games.


11 Unforgettable Games to Improve Your Memory

As an organic storage device, the brain compares pretty favorably to digital drives. It’s believed to be able to retain up to 2.5 petabytes of information—that’s akin to nearly three million hours of television. Being able to retrieve all of that knowledge, however, is a different matter. To help the process along, we’ve compiled a list of games that can help sharpen both your long- and short-term memory.

1. Do a Crossword—Just Not Too Often

Crossword puzzles remain the go-to cognitive exercise, with studies showing a strong correlation between the habit and delayed onset of dementia. But the problem with crosswords as a memory and overall brain booster is that you can get too good at them: If you’re able to put your pen down in record time, you’re probably not giving yourself enough of a challenge. Try alternating crosswords with other word-search games to keep your brain engaged.

2. Make a Game of Shopping

Try memorizing small shopping trip lists using “peg words.” Let’s say you need milk, eggs, and orange juice. Your peg words might rhyme with numbers, so one is the “sun” and two is a “shoe.” If eggs are the second item on your list, imagine your shoe stepping in them with the sun behind you. Not only will you remember the item, you’ll remember where it is on the list. If you split your purchases up with a friend or family member, you can see who remembered the most items and in what order.

3. Jigsaw Puzzles

Jigsaw puzzles are a fantastic tool for engaging short-term memory, since your brain has to sort through a series of colors and shapes in order to assemble a visual picture. The more pieces, the harder your brain has to work, and the greater the reward: “Clicking” a piece in place has been shown to produce dopamine, which can help concentration. But if landscapes and exotic animals have left you bored, try a smaller puzzle and flip the pieces over so you’re looking at only the blank side. With the color removed, you’ll have to rely only on shapes.

4. Find Video Games That Force You to Multitask

While shooting aliens can be fun, it’s not necessarily going to boost your cognitive function. Games that require you to react to a stimulus—like a road sign or new environment—while playing can improve working memory, or the ability to recall information while you’re in the middle of solving a problem. A recent study also showed that such activity modulated known neural markers that allow you to better cope with “interference,” or distractions, while retrieving information.

5. The Suitcase Game

If you’re in a group, you might be able to enlist some players for a roundtable memory game. The first person declares he or she is packing a suitcase with one item the next person repeats the declaration and adds an item. A player is “out” when he or she misses a previously inserted item.

6. Concentration

You’ve probably played a variation of the concentration game since childhood: Lay any number of cards face down, flip up two at a time, and try to match sets. But one way to make the exercise more engaging is to opt for the “spaghetti” variation—instead of neat rows of cards, try a messier arrangement. It will make the location of cards more difficult to remember.

7. The Tray Game

Ask a friend to grab a serving tray and a bunch of random items. Allow yourself a brief peek at the tray, then have it covered with a cloth. Try to remember all of the items. You can also look at a picture online, then minimize the browser and try to remember the contents.

8. Sudoku

This number game has been a staple of newspapers for years, and for good reason. By having to keep a series of numbers in your head while mentally “rehearsing” their placement in the nine-space grids, you’re relying heavily on working memory. But bear in mind, Sudoku is believed to be most effective early on, before your brain has gotten used to organizing the numbers. If it gets easier, it’s time to try something new.

9. Chess

Chess is one of the most intellectually challenging games around, though newer players often rely on short-term memory in order to analyze the board and plot their next move on the spot. More experienced players have committed strategies to their long-term memory, shifting the exercise to retaining information for the long haul.

10. Brain Yoga

Take your left hand, make a fist, and extend your thumb do the same with your right, only extend your pinky. Now switch them so it’s left pinky and right thumb. Not so easy? The coordination involved will strengthen neural connections, which will help both memory and other gray matter functions.

11. Try a Rebus Puzzle

A rebus puzzle usually consists of letters, numbers, pictures, and symbols that contain clues to the answer. The puzzle phrase “BAD BAD,” for example, is an encrypted way of saying “too bad.” You’ll need some knowledge of clichés and expressions to solve these puzzles, and you won’t be able to rely on implied or contextual clues like you would with a conventional sentence or word game.


Everyday memory problems [ edit | editar fonte]

The everyday experience of memory problems is the problem of failed recall, forgetting. The tip-of-the-tongue phenomenon is particularly frustrating because the person trying to remember feels that the memory is available. In physical terms your neurons are firing, but your receptors aren't catching. Failing to remember something in the situation in which it would have been useful leads to regret.

Traumatic brain injury [ edit | editar fonte]

The majority of findings about memory have been the result of studies that lesioned specific brain regions in rats or primates, but some of the most important work has been the result of accidental or inadvertent brain trauma. The most famous case in recent memory studies is the case study of HM, who had parts of his hippocampus, parahippocampal cortices, and surrounding tissue removed in an attempt to cure his epilepsy. His subsequent total anterograde amnesia and partial retrograde amnesia provided the first evidence for the localization of memory function, and further clarified the differences between declarative and procedural memory.

Neurodegenerative diseases [ edit | editar fonte]

Many neurodegenerative diseases can cause memory loss. Some of the most prevalent (and consequently, most intensely researched) include Alzheimer's Disease, Dementia, Huntington's Disease, Multiple Sclerosis, and Parkinson's Disease. None act specifically on memory instead memory loss is often a casualty of generalized neuronal deterioration. Currently, these illnesses are irreversible, but research into stem cells, psychopharmacology, and genetic engineering hold much promise.


Memory Development In Teenagers

Human memory is one of the most complex functions. The brain allows one to store certain information and let one to retrieve later. There are mostly tow types of memory systems. A system is that allows one to keep a record of all the experiences and is called as autobiographical memory. The second type of memory is semantic-memory where the system holds knowledge about the world. Working-memory is when the brain is where the brain tries to store certain things in order to make immediate calculations just like random-access-memory in a computer.

When certain information that is stored in it is not in use, is dumped by the working-memory. It helps the brain to create planned response by using the abstract thought. Brain works in an intelligent way. Teenagers tend to make certain irrational decisions when they are under stress. It is found that children only act like adults in normal conditions. However, under stress they would find themselves in trouble.

Teenage is the most important age as during this period one develops the memory forming a certain structure. Teenagers need to practice in order to remember better way. Memory-strategies would help in processing the information and would help in enhanced it. Organization is important as it helps organizing all the information properly. This would help the brain to recall the necessary information whenever needed easily. Understanding is important. If one understands well, it becomes easy for the brain to remember. Thus, in order to make the memory of a teenage more efficient it is necessary for one to ensure the above four key things. This would surely help in development of memory in teenager.

Teenagers, who drink heavily, have chances of permanent memory damage. Alcohol has proved that ongoing memory loss in youngsters could be carried forward to adulthood. Thus, doctors ask the teenagers to avoid heavy drinking. Heavy drinking could bring a young brain into a critical stage when it is in process of development. Teenage years are the most important years in one's life. This is so because during this period, the structural and functional development of brain takes place radically.

It is also found that heavy drinking teenagers are unable to recollect their past memories. If certain substances are used during this period of growth, then not only it is damaged but also the development of brain meets with obstacles. One is adding problems for future related to memories. Thus, teenagers should avoid heavily alcohol drinking.

Memory booster would help developing good-memory in teens. It would also help organizing the information in a better way also practice skills that are essential for effective learning. This would help teens to recollect information that is stored in their brains easily. The efficiency of it differs from one person to another. Some may have good short-term-memory while the others may have good long-term-memory. If the teenager improves his or her memory it could be very beneficial.


Assista o vídeo: JOGO DA MEMÓRIA. OS ANIMAIS. EDUCAÇÃO INFANTIL (Pode 2022).